Pesquisar notícia
terça,
18 jun 2024
PUB
Calor

Vaga de calor no sul mediterrânico e Europa preocupa por incêndios e saúde

17/07/2023 às 19:45
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

O anticiclone que empurra ar muito quente de África para a Europa fez subir os termómetros no sul mediterrânico e os receios no Velho Continente com os incêndios e as consequências na saúde das pessoas.

Em Itália espera-se que as temperaturas máximas rondem os 47 graus centígrados (ºC) na Sicília e Sardenha e se batam recordes, como em Roma onde se antecipam 42ºC.

Espanha já superou duas ondas de calor desde que começou o solstício de verão, em junho, mas para esta semana esperam-se entre 40 e 44ºC e noites tropicais, em que a temperatura não deve baixar dos 25ºC.

Segundo a Agência Estatal de Meteorologia de Espanha, este anticiclone faz deslocar “ar muito quente do Norte de África”, o que favorece uma estabilidade atmosférica, acumulando o calor na superfície.

Mais de metade de Espanha está sob alerta. Na Andaluzia, as províncias de Córdova e Jaén estão em alerta vermelho, devido a risco extremo por temperaturas máximas previstas de até 44ºC.

Em França, foi acionado o alerta laranja no sul, onde as temperaturas podem atingir 40ºC.

Nos Balcãs aguardam-se, pelo menos, 40ºC, que suscitam receios quanto a incêndios e saúde de pessoas em Montenegro, Albânia, Sérvia, Bósnia-Herzegovina, Kosovo, Croácia e Eslovénia.

Na Turquia, existem dezenas de incêndios florestais em curso, que começaram no fim de semana, com temperaturas em torno dos 38 graus que hoje devem atingir os 40.

Na Roménia, onde hoje estão 40ºC à sombra, esperam-se tempestades, com chuvas torrenciais e ventos intensos, e na Bulgária as previsões apontam para mais de 40ºC nas cidades de Russe, no Danúbio, e Sandanski, na fronteira com a Grécia.

Na Áustria, os termómetros atingiram no fim de semana os 35ºC. A Cruz Vermelha chegou a abrir salas para acolher pessoas, para que o corpo pudesse recuperar da pressão acusada pelo calor.

Com 39ºC esperados no sul, a Hungria declarou o alerta vermelho nas províncias de Bács-Kiskun, Csongrád-Csanád e Békés.

Lusa