Pesquisar notícia
quarta,
29 mai 2024
PUB
Sociedade

Jornadas Sociais – Sec. de Estado: Abrantes é “exemplo” de trabalho na igualdade de género e na integração social

23/05/2017 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

As Jornadas Sociais iniciaram esta manhã, no edifício Millennium, no bairro residencial de Vale de Rãs, em Abrantes.

A sessão de abertura contou com a presença de Catarina Marcelino, Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade e com Maria do Céu Albuquerque, presidente de Câmara Municipal de Abrantes.

Aos presentes, Catarina Marcelino disse que Abrantes é um “exemplo” onde se trabalha a igualdade de género e a integração social.

“Trabalhamos para uma sociedade com igualdade de oportunidades para todos e para todas. Eu sei que Abrantes trabalha para isso. O exemplo dado pela senhora presidente deste espaço e bairro, é disto que nós precisamos. Nós precisamos de integração social. E as oportunidades são para cada um e cada uma de nós, para todos. É nessas oportunidades que em conjunto construímos uma sociedade melhor”, salientou a Secretária de Estado.

Catarina Marcelino, Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade

Catarina Marcelino avançou que um dos objetivos do Governo para o próximo ano “é dar continuidade ao roteiro da cidadania em Portugal, que amanhã estará em Abrantes. A nossa carrinha que dinamiza a cidadania pelo país que anda abanar as comunidades para que falem de cidadania”.

“Criar igualdade de oportunidades para todas as pessoas independentemente de serem de etnia cigana, serem afrodescentes, serem brancas, ricas ou pobres. Todos os dias trabalhamos para que as pessoas tenham as mesmas oportunidades. É isto que nos move”, afirmou a governante.

Por sua vez, Maria do Céu Albuquerque dirigiu-se à Secretária de Estado, dando conta que o Município está “a trabalhar para promover as questões da Igualdade de Género e da Cidadania”, referindo-se ao projeto “Bairro ConVida”, que se concentra em Vale de Rãs.

“Falamos de rede, é de rede que estamos a falar (…) uma rede que é dinâmica e como todos os que estão na sala sabem, não se reduz a fazer um conjunto de reuniões formais, trabalha efetivamente todos os dias para poder contribuir para este desígnio de elevar a qualidade de vida dos nossos cidadãos”, fez notar a autarca sobre o projeto “Bairro ConVida”.

Maria do Céu Albuquerque referiu-se ainda ao Plano de Desenvolvimento Social, aprovado desde o passado mês de janeiro: “Este plano tem que estar sempre atualizado para poder corresponder a novas dinâmicas que sejam necessárias criar nas nossas comunidades e estamos absolutamente convictos que é desta forma de participação de toda a comunidade que vamos construir, uma comunidade mais viva, mais justa, mais solidária, de maneira a que todas e todos tenham o seu lugar”.

Maria do Céu Albuquerque, presidente de Câmara Municipal de Abrantes

Sobre a Jornadas Sociais, a presidente explicou que a opção passou por dar espaço a “experiências de vida, projetos locais e internacionais que façam a diferença, que façam a diferença na vida das pessoas, que possam aqui ser apresentados, discutidos, que possam servir de incentivo para todos aqueles que trabalham a matéria social”.

Já Celeste Simão, vereadora com o pelouro da ação social na CM de Abrantes, explicou à Antena Livre a pertinência da realização das primeiras Jornadas Sociais:"O tema que está por base da organização destas Jornadas é a Agenda 2030 do Desenvolvimento Sustentável. No fundo, é um documento que foi aprovado pela Organização das Nações Unidas em 2015 e baseia-se em 17 objetivos fundamentais. Objetivos mundiais que se transformam em cento e tal ações estratégicas... muitos deles não têm propriamente a ver connosco, mas quando se fala em questões de pobreza de vulnerabilidade social é tudo transversal”.

Sobre a escolha do bairro residencial de Vale de Rãs para a realização das Jornadas, Celeste Simão disse ser “muito importante trazer para a periferia do centro histórico este tipo de trabalho. No passado fim-de-semana, fizemos aqui o dia da família, com algumas atividades que ainda não tiveram a adesão de um grande número de pessoas, mas foi uma primeira edição e com estas Jornadas Sociais é continuar esse trabalho”.

“É fazer com que as pessoas percebam que há mais vida para além do centro histórico e é preciso também trazer as pessoas a conhecer outros espaços onde no fundo se desenvolvem atividades na área social”, finalizou.

No primeiro dia das Jornadas Sociais, o destaque foi ainda para a presença de Mafalda Ribeiro, jornalista, que participou no painel sobre “Inclusão e Cultura de Paz”, conjuntamente com representantes do movimento juvenil - Juventude Mariana Vicentina.

 

Mafalda Ribeiro, jornalista

O segundo dia das Jornadas Sociais será preenchido com um painel sobre “Cidadania, Responsabilidade Social e Voluntariado”, onde serão apresentados os projetos: “a Escola dos Sorrisos e do Esquecimento”, do Centro de Apoio a Idosos da freguesia de Rio de Moinhos e o projeto “Coordenadas para a Cidadania Global”. A sessão inclui uma intervenção de um representante da empresa PEGOP e do ImpacTrip. Ainda neste segundo dia, acontecerá um segundo painel com o tema o “Impacto Social – mobilizar, partilhar e reforçar parcerias”, no qual vão ser apresentados os projetos “Pay it Forward” Portugal (“Favores em cadeia”), o “Bairro ConVida”, e “Deixa o Bullying Só!”.

As Jornadas terminam com a realização de uma Feira Mostra sobre Cooperação e Desenvolvimento, com presença no local da Carrinha da Cidadania, uma iniciativa da Secretaria de Estado para a Cidadania e Igualdade em parceria com a ANIMAR – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local.

As Jornadas Sociais sãos abertas à comunidade em geral.

 

Joana Margarida Carvalho e Fátima Saraiva_Estagiária ESTA