Pesquisar notícia
quarta,
21 fev 2024
PUB
Crise/Saúde

Presidente CIM Médio Tejo espera que crise na saúde seja ultrapassada (c/áudio)

6/01/2024 às 16:42
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

A Urgência de Ginecologia-Obstetrícia e Bloco de Partos da Unidade Hospitalar de Abrantes da Unidade Local de Saúde do Médio Tejo (ULS Médio Tejo) vão ter constrangimentos das 00h00 de dia 6 de janeiro (sábado) às 9h00 de dia 7 de janeiro (domingo). Assim, ambos os Serviços vão estar encerrados.

As grávidas da área de influência da ULS Médio Tejo que entrem em trabalho de parto deverão ligar para a linha SNS 24 (808 24 24 24) para saber qual o Serviço de Urgência da região para onde se devem dirigir, no âmbito do plano “Nascer em Segurança” no SNS. Em caso de emergência, deverão ligar 112.

Com este cenário, à margem da cerimónia de entrega de uma ambulância à Cruz Vermelha de Abrantes e Tomar, Manuel Jorge Valamatos foi questionado, enquanto presidente da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, sobre esta situação. O autarca disse que “é uma preocupação imensa” e acrescentou que o país está a atravessar uma série de constrangimentos na área da saúde pelo que Santarém e o Médio Tejo não conseguem imunidade.

Vincou que com o profissionalismo de todos os profissionais da saúde há um registo que tem de ser feito, indicou, pela resiliência e grande esforço nesta altura. Lembrou o esforço feito no tempo da pandemia e reforçou o trabalho dos profissionais e administração do centro hospitalar em manter os serviços abertos. Mas frisou que “há situações inevitáveis que queremos acreditar que o futuro nos vai ditar linguagens de maior capacidade de resposta e esperemos que rapidamente consigamos, por diferentes estratégias, ultrapassar estas dificuldades que estamos a ter e manter no Centro Hospitalar do Médio Tejo, em Abrantes, Tomar e Torres Novas, todos os serviços abertos 24 horas por dia e 365 dias por ano.”

Manuel Jorge Valamatos, presidente CIM Médio Tejo

O tempo médio de espera para doentes urgentes ultrapassava, às 08:30 de hoje, as 14 horas no hospital Beatriz Ângelo, em Loures, e as 11 horas no hospital Amadora-Sintra, segundo dados do Portal do Serviço Nacional de Saúde.

Segundo os dados consultados pela agência Lusa, às 08:30 o tempo médio de espera para doentes urgentes (com pulseira amarela) no serviço de urgência geral no hospital Beatriz Ângelo era de 14:37 horas, quando o tempo recomendado é de 60 minutos.

Nas urgências desta unidade encontravam-se 42 utentes com pulseira amarela à espera de serem atendidos.

Os doentes listados no portal do SNS como estando em espera incluem os que aguardam primeiro atendimento e os que aguardam resultados de exames realizados após atendimento.