Pesquisar notícia
terça,
23 jul 2024
PUB
Portalegre

Urgências fecham entre as 14:00 de quinta-feira e as 08:00 de sexta

18/10/2023 às 12:40
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

O serviço de urgência médico-cirúrgica do hospital de Portalegre vai estar encerrado na quinta-feira a partir das 14:00, reabrindo no dia seguinte pelas 08:00, divulgou hoje a Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA).

Contactado pela agência Lusa, o porta-voz da ULSNA, Ilídio Pinto Cardoso, explicou que esta situação se deve ao facto de os médicos se recusarem a realizar mais horas extraordinárias além das obrigatórias.

Numa nota enviada à agência Lusa, a ULSNA acrescenta que este serviço vai estar depois em funcionamento na sexta-feira, a partir das 08:00 até às 08:00 de segunda-feira.

De acordo com a ULSNA, o serviço de urgência médico-cirúrgica está desde as 08:00 de hoje em funcionamento no hospital de Portalegre, até às 14:00 de quinta-feira.

Ilídio Pinto Cardoso indicou ainda que está em funcionamento o serviço de cirurgia interna, cirurgias programadas e consultas externas.

“Um doente que entre no hospital de Portalegre e que na triagem seja reencaminhado para serviço de cirurgia geral, se [o serviço] não estiver a funcionar naquele dia e nas horas indicadas [na nota] é reencaminhado para o hospital de Elvas que é da ULSNA. A ULSNA resolve estes casos através dos recursos próprios que tem”, explicou.

A Ordem dos Médicos (OM) revelou na segunda-feira que os 18 clínicos de Cirurgia Geral do hospital de Portalegre se recusam a realizar mais horas extraordinárias até final do ano, por já ultrapassarem as 150 obrigatórias, sendo que alguns já se aproximam das mil.

Em comunicado, o Conselho Sub-regional de Portalegre da OM disse ter tido conhecimento de que “todos os elementos do Serviço de Cirurgia Geral” daquele hospital “apresentaram a sua indisponibilidade para realizar mais horas extraordinárias no ano de 2023”.

Fonte deste conselho sub-regional da OM precisou que a medida abrange “os 18 médicos” do Serviço de Cirurgia Geral do Hospital Dr. José Maria Grande, em Portalegre, pertencente à ULSNA.

Já no Hospital de Santa Luzia, em Elvas, no mesmo distrito e igualmente pertencente à ULSNA, existem “perto de 10 médicos de cirurgia geral”, os quais ”não apresentaram a sua indisponibilidade para mais horas extraordinárias”.

Os cirurgiões de Portalegre deixaram de fazer mais horas extraordinárias desde o último sábado, pode ler-se no comunicado da OM, que argumentou que esta recusa se traduziu “num forte constrangimento no Serviço de Urgência” do hospital e à transferência “de muitos doentes para outras unidades hospitalares”.

Contactada na altura pela Lusa, a ULSNA escusou-se a prestar declarações “sobre o direito que assiste a estes médicos” que apresentaram a sua indisponibilidade.

“O Serviço de Urgência na ULSNA é sempre assegurado, na área da Cirurgia, por um médico”, referiu a mesma entidade.

O porta-voz da ULSNA, Ilídio Pinto Cardoso, precisou que, neste caso, esse médico que assegura as urgências de cirurgia geral está no hospital de Elvas.

No esclarecimento enviado à Lusa, a ULSNA realçou precisamente isso: “Não há alteração de cirurgias programadas ou de consultas. Em caso de constrangimentos ou outros, a ULSNA resolve em rede com os seus recursos ou os da região”.

Lusa