Pesquisar notícia
quinta,
18 ago 2022
PUB
Região

Saúde Pública alerta para perigos de onda de calor com temperaturas acima de 40 graus (C/ÁUDIO)

7/07/2022 às 12:21
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

As temperaturas em todo o território nacional vão subir nos próximos dias colocando o país numa onda de calor que, de acordo com os modelos de previsão que estão em cima da mesa, será mais longa do que o habitual.

Apesar de o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) ainda só ter acionado o alerta amarelo para tempo quente a partir desta quinta-feira (7 de julho) a saúde pública já começou a acionar os seus mecanismos de alerta à população.

A Unidade de Saúde Pública do Médio Tejo (USPMT) revela numa nota enviada à nossa redação que “é necessário não esquecer que as pessoas mais suscetíveis (os idosos que padecem de doença crónica e as crianças) devem ser afastadas do calor, permanecendo em lugares frescos durante o período mais crítico (entre as 11 e as 17 horas) e termos presente a importância de lhes assegurarmos um consumo adequado de líquidos, para evitar a desidratação.”

Ainda segundo a Saúde Pública do Médio Tejo, “dado que estamos num período em muitas pessoas se encontram de férias, é importante relembrar a importância da utilização de cremes protetores sempre que há exposição solar e frequentar a praia entre as 11 e as 17 horas, fora desse horário pode ser muito prejudicial para a saúde.”

Paulo Luís, delegado de Saúde Pública de Abrantes, indicou os conselhos que todas as pessoas deverão ter em conta, principalmente para os grupos mais vulneráveis.

Para já o alerta é ainda amarelo, mas a subir para laranja ou vermelho, deverá implica outro tipo de medidas. Paulo Luís referiu também que esta onda de calor é mais preocupante porque tem uma duração maior do que as ondas que temos tido nos últimos anos, daí que seja mesmo necessário que as pessoas tenham cuidados acrescidos nestes dias.

E um dos conselhos mais importantes é o arejamento das casas nos períodos de menor intensidade do calor, ou seja, à noite os cidadãos, com incidência nos mais idosos, deverão mesmo fazer esse arejamento dos edifícios.

Paulo Luís, delegado de Saúde Pública de Abrantes

O plano de intervenção em ondas de calor no distrito de Santarém irá ser acionado, caso a Saúde Pública aumente o nível de alerta devido às altas temperaturas esperadas até ao fim de semana, disse hoje fonte da Proteção Civil.

A presidente da Comissão Distrital da Proteção Civil (CDPC), Anabela Freitas, disse à Lusa que este órgão se reuniu na tarde de quarta-feira, tendo em conta a previsão de temperaturas elevadas na região, que poderão chegar aos 45 graus centígrados.

Segundo a também presidente da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo e da Câmara de Tomar, foi decidido que as Comissões Municipais de Proteção Civil (CMPC) vão reforçar a informação sobre as medidas previstas no plano de intervenção em ondas de calor, sobretudo junto dos presidentes das juntas de freguesia, em particular daqueles que assumiram funções nas últimas autárquicas.

O plano, criado em 2015, estabelece os locais, em cada uma das freguesias do distrito, para onde deverão ser levadas pessoas com maiores fragilidades e que residam em habitações sem condições climatéricas, como idosos, bem como a preparação das unidades hospitalares (que também integram a CDPC) caso seja necessário prestar cuidados médicos, disse.

Temperaturas acima de 40 graus de dia e próximas dos 30 de noite

Esta onda de calor está a ser acompanhada pelo IPMA que colocou o país em alerta amarelo, subindo para laranja nos distritos de Lisboa e Leiria.

De acordo com a página do IPMA esta sexta-feira todo o país está em alerta amarelo e os distritos de Lisboa, Leiria, Coimbra, Santarém, Setúbal, Évora e Beja já estão em laranja.

Já no sábado, ainda segundo a página do IPMA, já quase todos os distritos de Portugal estão com alerta laranja, à exceção de Faro, Viana do Castelo, Aveiro, Viseu e Guarda.

Ora com temperaturas muito altas Hélder Silvano, meteorologista amador e responsável para estação Meteoabrantes, aponta a dez dias, pelo menos, de muito calor, humidades muito baixas, ventos que podem ter rajadas e algumas noites com temperaturas que podem não baixar dos 27 ou 28 graus, ou até mesmo 30, criando condições para o que é habitualmente classificado como noites tropicais.

Hélder Silvano, Meteoabrantes

Nos próximos dias, Portugal continental irá enfrentar uma situação de tempo quente persistente, que deverá dar origem a uma onda de calor em muitas áreas do território.

“Esta situação deve-se a um fluxo do quadrante leste na circulação de um anticiclone localizado a nordeste dos Açores, estendendo-se em crista até à Europa Central, que transportará uma massa de ar muito quente e seco sobre o território do continente”, segundo o IPMA.

A previsão aponta para uma subida dos valores de temperatura, em especial da máxima, esperando-se valores acima de 35 graus Celsius na generalidade do território, exceto em alguns locais da faixa costeira ocidental, onde os valores serão entre 30 e 35 graus.

No interior, em especial da região Sul, e nos vales do Tejo e Douro, as temperaturas deverão atingir valores superiores a 40 graus a partir de sexta-feira, podendo alcançar localmente os 42 graus.

A temperatura mínima também irá aumentar, prevendo-se a persistência da ocorrência de noites tropicais (mínimas acima de 20°C) em grande parte do território.

“Estas condições meteorológicas, associadas também a valores baixos da humidade relativa do ar, resultarão igualmente num aumento significativo do perigo de incêndio rural, que deverá situar-se nas classes máximo e muito elevado em quase todo o interior Norte e Centro e no interior do Algarve”, alerta o IPMA.

As temperaturas mínimas hoje variam entre os 15 graus (na Guarda e em Viseu) e os 22 (em Portalegre) e as máximas entre os 30 (na Guarda) e os 39 (em Lisboa, Santarém e Évora).

Galeria de Imagens