Pesquisar notícia
domingo,
04 jun 2023
PUB
Peregrinação 13 maio

Proteção civil e socorro com 350 elementos para peregrinação a Fátima

12/05/2023 às 20:52
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter
Foto: Município Ourém

Cerca de 350 pessoas e 90 viaturas integram o dispositivo de proteção civil e socorro para a peregrinação internacional ao Santuário de Fátima, que hoje começa, disse o comandante David Lobato.

“Qualquer coisa como 90 veículos, entre veículos de combate a incêndio, ambulâncias, ‘scooters’, motos, e 350 elementos de várias entidades, Serviço Municipal de Proteção Civil, corpos de bombeiros, Força Especial de Proteção Civil, INEM [Instituto Nacional de Emergência Médica], escuteiros”, afirmou o comandante da “Operação Fátima”.

Segundo David Lobato, responsável do Comando Sub-regional de Emergência e Proteção Civil do Médio Tejo, estão incluídas também as entidades ligadas aos serviços de recolha de resíduos ou abastecimento de água.

A operação começou às 08:00 de hoje e termina às 18:00 de sábado, não se prolongando para domingo.

“Aquilo que o Serviço Municipal [de Proteção Civil] decidiu – e muito bem - é manter uma operação mais pequena, reduzir o nível de meios, que passa a ser uma operação municipal”, precisou, garantindo, contudo, caso haja necessidade, a mobilização de mais meios através do Comando Sub-regional do Médio Tejo.

Questionado sobre as preocupações para esta peregrinação, David Lobato constatou existir uma mudança de paradigma relativamente aos peregrinos que se deslocam a pé para a cidade-santuário.

No passado, registava-se “um acréscimo elevado daquilo que era a assistência” aos peregrinos, que vinham muito debilitados após percorrerem centenas de quilómetros a pé.

Agora, muitos dos grupos de peregrinos trazem médicos, enfermeiros ou bombeiros e até ambulâncias, assinalou.

“As pessoas quando chegam cá, já vêm, basicamente, com os tratamentos feitos, algumas com muitas mazelas, mas com os tratamentos feitos, não havendo uma necessidade tão grande da nossa parte de atuação”, declarou o comandante, assumindo, porém, uma preocupação por se tratar de um “evento de massas”.

O comandante da “Operação Fátima” exemplificou com a possibilidade de haver 300 mil pessoas na Cova da Iria e nas imediações “mais 200 ou 300 mil pessoas”, além da população de Fátima.

David Lobato reconheceu ainda que este é um teste para agosto, quando se prevê a deslocação do Papa Francisco a Fátima, no âmbito da Jornada Mundial da Juventude, que se realiza em Lisboa, adiantando que nesta operação se estão a testar “algumas valências e alguns meios e alguma tipologia de operação diferente”.

De acordo com o comandante, em agosto terá de ser “feita uma operação muito parecida com esta ou igual, mas, se calhar, com muitos mais meios”.

“Estamos a falar depois do acréscimo de população”, referiu, explicando que, por agora, os números podem ser de 500 mil pessoas, mas com a presença do Papa “um milhão ou mais”.

Por outro lado, advertiu para a possibilidade de uma “tempestade perfeita” em agosto, quando o dispositivo de combate a incêndios está “no seu máximo de potencial”, além da chegada a Portugal de milhares de emigrantes.

Até às 12:00, não havia registo de ocorrências relacionadas com a peregrinação internacional aniversária de maio, presidida pelo secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin.

As celebrações iniciam às 21:30, com o terço, seguindo-se a procissão das velas e a celebração da palavra, no altar do recinto.

No sábado, a peregrinação culmina com a missa, as 10:00, também no recinto.

Lusa