Pesquisar notícia
domingo,
22 mai 2022
PUB
Educação

Jornadas da Educação apontam ao tema + Sonhos, + Saberes (C/ÁUDIO)

5/04/2022 às 17:09
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Até ao próximo dia 7 de abril, as Jornadas da Educação estão aí, abertas a toda a comunidade, com um vasto programa que se irá concretizar com diversas iniciativas em várias instituições educativas do concelho, abordando temas centrais da Educação.

O mote da edição deste ano aponta a “+ Sonhos, + Saberes”. As jornadas são um momento de debate e reflexão e que irá abordar, ao longo de quatro dias, temas como a aquisição de competências, a aprendizagem ao longo da vida, o ensino profissional, a alimentação saudável ou as competências digitais, entre outros.

A sessão de abertura das Jornadas da Educação de Abrantes teve lugar esta segunda-feira, 4 de abril, no auditório da ESTA – Escola Superior de Tecnologia de Abrantes, onde o presidente da Câmara Municipal de Abrantes, Manuel Jorge Valamatos, começou por referir que a pandemia não permitiu a realização das Jornadas da Educação nos últimos dois anos e agradeceu “a dedicação, competência e compromisso dos nossos professores que enfrentaram este momento histórico”.

Sendo a Educação entendida como um pilar fundamental do desenvolvimento do concelho, Manuel Jorge Valamatos, salientou que “o futuro do nosso concelho está nos mais jovens e precisamos de lhes dar as necessárias ferramentas”, mencionando os fortes investimentos em curso na área da Educação que ultrapassam os 4 milhões de euros na construção do novo Centro Escolar de Abrantes e nas requalificações da Escola de Alvega e da Escola Básica e Secundária Otávio Duarte Ferreira, em Tramagal. Recordamos ainda que, paralelamente, serão investidos cerca de 5 milhões de euros na construção da nova Escola Superior de Tecnologia de Abrantes, no Parque de Ciência e Tecnologia. “Concluídos estes investimentos, Abrantes terá um dos melhores parques escolares do país”, concluiu Manuel Jorge Valamatos.

 

Manuel Jorge Valamatos, presidente CM Abrantes

Celeste Simão, vereadora com o pelouro da Educação da autarquia, apresentou o programa de trabalho para estes quatro dias de debate e naquilo que os vários eixos do Projeto Educativo de Abrantes define como caminhos para preparar o futuro.

A qualidade do sucesso educativo constituem os eixos 1 e 2 deste documento orientador, que aponta ainda a qualificação da população adulta assim como a partilha intergeracional que não podem fugir das prioridades da autarquia.

Há ainda no documento o eixo que aponta à articulação institucional que é determinante para a construção de um território mais coeso e com melhores políticas educativas. Este programa das jornadas deste ano é o exemplo do que preconiza este êxito.

Outro dos focos tem a ver com as infraestruturas e com os equipamentos. Celeste Simão vincou a necessidade de “sairmos da nossa zona de conforto para conhecermos os equipamentos que temos ao nosso dispor”. Desta forma a vereadora diz que este fator permite que os atores da educação se conheçam melhor e permite um diálogo mais profícuo.

E depois há, de acordo com a vereadora, a necessidade de que as notas que se tiram nestes encontros não fiquem num qualquer caderno. Celeste Simão disse ainda que numa das sessões, na quinta-feira, os alunos do 1.º ciclo vão dizer aos professores e educadores porque é que devem estudar.

Celeste Simão, vereadora Educação CM Abrantes

O primeiro painel, que aconteceu logo a seguir à sessão de abertura apontou ao tema “A vida ontem, hoje e amanhã: construção e desenvolvimento de competências”.

Os convidados para esta sessão foram Inês Pereira da Silva, da empresa, Horta Grande, Nuno Gomes, assessor da Câmara Municipal de Abrantes na área do desporto, José Mingocho Abreu, ensino profissional e um dos fundadores da Escola Profissional de Agricultura de Abrantes (atual Escola Profissional de Desenvolvimento de Abrantes) e Luís Lopes, da Mitsubishi Fuso Truck Europe.

Esta primeira sessão apontou muito às diferenças que temos no ensino e na passagem para o mercado de trabalho, assim como as vivências e experiências extracurriculares, ou aquilo que designamos por Soft Skills ou competências.

E deste painel, a ideia base que saiu é que, cada vez mais, o mercado precisa de bons alunos, com formação, mas cada vez mais com outras competências. Competências que a pandemia pode ter vindo transfigurar, uma vez que nos últimos dois anos os jovens passaram a ter muito menos socialização e muito mais isolamento nos ecrãs dos computadores, principalmente nos jogos.

E todos os conferencistas apontaram às suas experiências profissionais ou de voluntariado como fundamentais para aquilo que são depois as entradas no mercado de trabalho.

A abertura das Jornadas da Educação de Abrantes foi feita com música, nas escadas da ESTA, onde atuou o Grupo de Cavaquinhos do Orfeão de Abrantes.

Galeria de Imagens