Pesquisar notícia
quarta,
08 dez 2021
PUB
Covid-19

Covid-19: Portugal com 2.371 novos casos e cinco mortes

19/11/2021 às 16:53
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Portugal regista hoje 2.371 novos casos confirmados de infeção com o coronavírus SARS-CoV-2, com cinco mortes associadas à covid-19, e um aumento de internamentos em enfermaria e cuidados intensivos, segundo dados oficiais.

De acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado hoje, estão agora internadas 528 pessoas, mais cinco do que na quinta-feira, das quais 79 em unidades de cuidados intensivos, mais sete do que nas últimas 24 horas.

As cinco mortes – uma mulher e quatro homens – registaram-se no Centro (duas), em Lisboa e Vale do Tejo (uma), no Norte (uma) e na Madeira (uma).

Segundo o boletim da DGS, nas últimas 24 horas, o maior número de infeções ocorreu na região de Lisboa e Vale do Tejo, com 900 notificações, contabilizando esta área geográfica, desde o início da crise pandémica, 430.577 casos e 7.776 mortos.

Na região Norte, registaram-se mais 592 casos, totalizando 423.000 e 5.625 óbitos.

Na região Centro, registaram-se 458 novos casos, perfazendo um total de 153.112 infeções e 3.220 mortos.

O Algarve notificou mais 225 casos, acumulando 46.167 contágios e 496 óbitos.

No Alentejo, foram assinalados 91 novos casos de infeção, somando 41.180 contágios e 1.056 mortos.

Segundo a DGS, a região Autónoma da Madeira contabilizou, nas últimas 24 horas, uma morte por covid-19 e 63 novos casos, somando 13.618 infeções e 80 mortes.

Os Açores registaram 42 novos casos, totalizando 9.797 contágios e 47 mortes desde o início da pandemia.

As autoridades regionais dos Açores e da Madeira divulgam diariamente os seus dados, que podem não coincidir com a informação divulgada no boletim da DGS.

Nas últimas 24 horas, registaram-se mais 1.136 casos ativos, somando 42.271 desde o início da pandemia, e mais 1.230 recuperados, o que aumenta o total nacional para 1.056.880 pessoas.

Em relação a quinta-feira, as autoridades de saúde têm mais 2.628 contactos em vigilância, totalizando agora 40.713.

O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 517.996 homens e 598.686 mulheres, de acordo com os dados da DGS, segundo os quais há 769 casos de sexo desconhecido, que se encontram sob investigação, uma vez que esta informação não é fornecida de forma automática.

A covid-19 provocou pelo menos 5.130.627 mortes em todo o mundo, entre mais de 255,49 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

 

Portugal pode atingir 240 casos/100.000 habitantes em menos de duas semanas

Portugal pode atingir os 240 casos por 100.000 habitantes em menos de duas semanas a manter-se a taxa de crescimento de número de casos, avançou o investigador Baltazar Nunes, do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA)

Na sua intervenção "Impacto da vacinação contra a covid-19 na população portuguesa: efeito observado" na reunião de peritos no Infarmed, em Lisboa, o epidemiologista afirmou que a transmissibilidade é elevada no país, com o número de casos a duplicar aproximadamente a cada 15 dias.

“Quando olhamos para as várias regiões verificamos que em comparação com a última reunião do Infarmed em que efetivamente estávamos numa situação contrária com praticamente todas as regiões com tendência decrescente, agora estamos com todas as regiões com uma tendência crescente”, salientou.

Segundo o responsável da unidade de investigação epidemiológica do INSA, os valores do ‘R’ (transmissibilidade) estão “elevados ou muito elevados”, estando alguns dias acima de 1,2 em algumas regiões.

“Olhando para as projeções da incidência, verificamos que a linha dos 240 casos por 100.000 habitantes vai ser atingida rapidamente em aproximadamente menos duas semanas se mantivermos esta taxa de crescimento, mas também podemos verificar que as linhas dos 480 e dos 960 podem ser atingidas em um mês ou dois meses se mantivermos sempre esta taxa de crescimento”, advertiu o investigador.

C/ Lusa e DGS