Pesquisar notícia
quarta,
17 abr 2024
PUB
Abrantes

Lar de Vale das Mós inaugurado. É o maior financiamento do PRR do distrito na área social (c/áudio)

9/05/2023 às 17:04
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

A Associação Social “A Mó e a Água” inaugurou o seu lar de idosos “Todos Irmãos”, conhecido como lar do Padre Zé da Graça.
Sexta-feira, dia 5 de maio. Pouco antes das 16 horas o espaço exterior do lar de idosos de Vale das Mós estava apinhado. Entre os habitantes da terra e as dezenas de convidados, todos esperavam a chegada da hora de abertura das portas de uma instituição que foi pensada ou sonhada há 40 anos.

A Associação Social “A Mó e a Água” avançou com este projeto que todos chamam lar do Padre Zé da Graça. Foi precisamente há 40 anos que José da Graça, então pároco de Vale das Mós sonhou este lar porque, como diz, o ministério da Igreja para ele só faz sentido com obra social e em prol dos outros

 

Padre Zé da Graça

Com a presença da ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, o diretor da Segurança Social de Santarém, Renato Bento, e o presidente da Câmara de Abrantes, Manuel Jorge Valamatos, o Cónego José da Graça confidenciou como levou a obra avante. Primeiro com as responsabilidades de “construir” um empreendimento de 3 milhões de euros. Depois sobre as responsabilidades financeiras. No meio a informação de que a obra está feita e a direção ainda tem na conta 5 mil euros para o arranque da atividade assistencial.

 

Padre Zé da Graça

A ministra que tutela a Segurança Social, Ana Mendes Godinho presidiu à cerimónia de inauguração deste lar, que representa, nesta altura, o maior apoio no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) na área social no distrito de Santarém. Conta com um apoio de 1 milhão e 600 mil euros e é, também segundo a governante, o terceiro projeto apoiado pela bazuca europeia a ser inaugurado. Ana Mendes Godinho deixou a nota que neste momento Portugal tem cerca de 6 centenas de projetos em andamento, que serão apoiados no âmbito do PRR.

 

Ana Mendes Godinho

Este lar foi pensado há 40 anos, quando o Pároco de Vale das Mós era o Padre Zé da Graça. Foi ali que começou a sua primeira obra social, que continua a funcionar: Centro Social de Vale das Mós. Depois o padre seguiu para outras paróquias e o lar continuou no campo dos sonhos ou desejos de “um dia quem sabe?”

A vida dá voltas, e o agora Cónego José da Graça, volta a Vale das Mós e encontra na associação A Mó e a Água a vontade e a entidade que precisava para colocar no terreno, em obra e a funcionar o projeto do lar sonhado, já lá vão 40 anos.

O lar “Todos Irmãos”, porque José da Graça recusou dar o seu nome à instituição, está construído e começa a funcionar dia 1 de junho. Tem 32 quartos, 24 duplos e 8 privados, com lotação total para 56 utentes, mas que pode crescer para 60. O processo de ampliação da lotação já está pedido à Segurança Social. A abertura está decidida, 1 de junho, vai empregar 25 a 30 pessoas, de Vale das Mós na maioria, e já tem uma lista com 40 idosos inscritos.

O processo foi complexo e com a pandemia a subida de preços dos materiais nuns foi entrave para a obra ficar suspensa. Florbela Aranha, a presidente da “A Mó e a Água”, explicou que o padre Zé da Graça consegue sempre antecipar as necessidades burocráticas das candidaturas e dos programas onde podem ir buscar os financiamentos. E deixou uma nota para o Ministério, e Segurança Social de Santarém, que constituíram a base para que a obra pudesse nascer e ser concluída.

 

Florbela Aranha

A inauguração contou com a benção, conduzida pelo padre Zé da Graça e com o simbolismo de ser feita com um ramo de oliveira.

Benção

José da Graça sonhou este lar há 40 anos quando era o pároco de Vale das Mós. Depois foi para Abrantes e o projeto ou ideia ficou na gaveta.

Na cerimónia solene, o presidente da Câmara de Abrantes, Manuel Jorge Valamatos, destacou a importância desta resposta social para o concelho. O autarca pôs de lado o discurso que tinha preparado, uma vez que começou por se recordar dos tempos da infância que passou naquela aldeia onde os pais eram professores.

Manuel Jorge Valamatos deixou a ideia da dimensão do concelho, para sublinhar a importância deste tipo de projetos para a comunidade. E depois não esqueceu o homem que sonhou esta obra.

 

Manuel Jorge Valamatos

Já após a inauguração e visita às instalações com a ministra o presidente da Câmara de Abrantes disse aos jornalistas que há muita obra social a acontecer no concelho quer através de financiamento do PRR e do programa PARES. São investimentos que vêm dotar os lares de idosos de diversas freguesias do concelho de Abrantes de melhores condições. É um trabalho fundamental, disse o autarca, ainda para mais em territórios com um índice elevado do envelhecimento da população.

 

Manuel Jorge Valamatos

De referir que a Câmara de Abrantes apoiou a associação com uma verba de 60 mil euros para aquisição de equipamento para a cozinha e para a lavandaria da instituição.

Já a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho destacou que este lar de Vale das Mós é o projeto com maior apoio aprovado pelo PRR no distrito de Santarém, com financiamento de 1 milhão e 600 mil euros. A governante mostrou satisfação porque é, no país, o terceiro projeto a ser apoiado no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência.

Ana Mendes Godinho destacou o aproveitamento do programa feito pela instituição, mesmo com as dificuldades nos tempos de pandemia.

Por outro lado, a ministra disse que é uma área crítica para o país. “Nunca houve um investimento na área social tão grande. Tempos 600 projetos aprovados no âmbito do PRR e do PARES.”

Sobre uma eventualidade de revisão de preços nos materiais de construção, e que estão a afetar todas as instituições com obra em curso, a governante revelou que está a negociar com a União Europeia o pacote de reforço de verbas, no PRR, para novo apoio.

Ana Mendes Godinho revelou ainda que na semana passada foi assinada uma nova linha de financiamento para o setor social, de 120 milhões de euros, para ajudar a complementar estes projetos e que permite o financiamento até 1 milhão e 500 mil euros e com Spread máximo de 1.75 pontos.

 

Ana Mendes Godinho

José da Graça teve momentos em que, notoriamente, se emocionou. Foi mesmo, apesar de dizer que abriu a porta para a Bênção com naturalidade, uma cerimónia de emoções. Pela longevidade da ideia, pela dificuldade (em tempo de pandemia) de construir o lar com valor de 3 milhões de euros, e pelas palavras que ouviu. Aliás, a sala de estar do lar, sendo de uma dimensão considerável, não chegou para acolher todos os convidados que quiseram estar na festa.

José da Graça revelou que houve uma altura em que o empreiteiro transmitiu-lhe um aumento no valor global da construção de 400 mil euros por isso, queria saber se iria parar os trabalhos. E o Cónego, segundo disse, respondeu-lhe que não podia parar. “Se pararmos nunca mais a recomeçamos. Felizmente foi aprovada.”

Mesmo assim José da Graça disse que a meio ainda teve um revés que poderia deitar por terra todo o projeto. Houve um momento em que a candidatura esteve para ser anulada. Mas salientou que não renegociação. “Não podia ser rejeitada porque foi toda apresentada de acordo com a lei.”

 

Padre Zé da Graça

Mas afinal há mesmo mais ideias ou até já projetos. E se são ou não em Vale das Mós, José da Graça diz que, nesta altura, já não sai daquela aldeia.

Padre Zé da Graça

O Lar "Todos irmãos" abre dia 1 de junho, vai empregar 25 a 30 pessoas, custou 3 milhões de euros, teve apoio do PRR de 1 milhão 600 mil euros, apoio do Município de 60 mil euros na compra do equipamento para a cozinha e lavandaria.