Pesquisar notícia
quarta,
19 jan 2022
PUB
Concelhos

Abrantes: Câmara aprova tarifário dos SMA para 2022 por maioria (C/ÁUDIO)

7/12/2021 às 17:21
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

A Câmara Municipal de Abrantes aprovou o tarifário dos Serviços Municipalizados de Abrantes (SMA) para o ano 2022 com uma subida de 32 cêntimos para o consumidor doméstico e 3,39 euros para a média dos consumidores não domésticos.

A proposta dos SMA contou com os votos favoráveis do PS, com o voto contra do vereador Vasco Damas, ALTERNATIVAcom, e a abstenção do vereador Vítor Moura, PSD.

O presidente da Câmara de Abrantes e do Conselho de Administração dos Serviços Municipalizados apresentou os novos tarifários com a necessidade de fazer uma atualização que classificou como muito ligeira face a um aumento de despesa de cerca de 100 mil euros só com atualizações salariais, consumos de eletricidade e de combustíveis.

Neste sentido a proposta de atualização dos preços aponta a um aumento de 0,9%. Ou seja, num consumo de 10 m3 água os clientes domésticos vão pagar mais 0,10 €/mês e nos consumos de 20 m3 água os clientes não domésticos vão pagar mais 1,79 €/mês.

Manuel Jorge Valamatos, presidente CM Abrantes

Nos resíduos sólidos urbanos a atualização será de 0,5%. Os clientes domésticos num consumo de 10 m3 água vão pagar mais 0,03 €/mês e num consumo de 20 m3 água os clientes não domésticos vão pagar mais 0,63 €/mês.

No saneamento a atualização em 3,2% nas tarifas variáveis (atualização de acordo contrato de concessão) e uma atualização em 0,2% tarifas fixas (atualização de acordo contrato de concessão). Neste sentido no saneamento num consumo de 10 m3 água os clientes domésticos vão pagar mais 0,17 €/mês enquanto que num consumo de 20 m3 água os clientes não domésticos vão pagar mais 0,58 €/mês.

Somas feitas, em 2022, um cliente doméstico com consumo de 10 m3 tem um aumento na fatura de ambiente de 32 cêntimos.

Já um cliente não doméstico com um consumo de 20 m3 de água por mês terá um aumento na fatura de ambiente de de 3,15 euros.

Manuel Jorge Valamatos, presidente CM Abrantes

Manuel Jorge Valamatos apresentou depois uma série de indicadores comparativos entre o concelho de Abrantes e a média da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo para justificar os preços, principalmente, do saneamento e dos resíduos sólidos, já que na água os valores estão a meio da tabela, no consumo doméstico, e nos valores mais baixos no consumo não doméstico. O autarca disse ainda que a dimensão do concelho, a densidade populacional, nos resíduos, e a taxa de cobertura na rede de esgotos levam a que os valores cobrados sejam superiores à média da CIMT do Médio Tejo.

Questionado sobre se estes tarifários já incluem as recolhas de bio-resíduos (contentor castanho) o autarca confirma e adianta que em 2022 tudo aponta para que as zonas do concelho com densidade populacional mais alta possam ter este serviço. E acrescentou que implica um novo circuito de recolha, já que estes resíduos não se podem misturar com os indiferenciados.

Manuel Jorge Valamatos, presidente CM Abrantes

Manuel Jorge Valamatos indicou que 74% dos consumidores domésticos dos SMA consomem até até 10 metros cúbicos de água por mês e numa fatura destes clientes 11,56 euros são o custo efetivo com água, o que representa 39%. Depois junta-se à fatura do ambiente 8,80 euros para pagamento de saneamento (30%), mais 6,92 (23%) dos resíduos sólidos urbanos e ainda 2,47 (8%). Ou seja, quer dizer que um consumidor doméstico que se insere neste escalão (10 metros cúbicos de água por mês) tem uma fatura de 29,75 euros.

No mesmo documento foram divididos os consumos por intervalos de valores pagos. Há 25% dos clientes dos SMA que têm a sua fatura de ambiente até 15 euros, 29% pagam entre 15 e 25 euros, enquanto que 24% dos clientes pagam entre 25 e 35 euros. Já no escalão entre35 e 50 euros de fatura de ambiente estão 14% dos clientes e a pagar mais de 50 euros por mês na fatura do ambiente estão 8% dos clientes. O custo médio da fatura de ambiente no concelho de Abrantes é de 27,58 euros para 18 607 clientes.

 

Já no que diz respeito aos consumidores não domésticos, ou seja, empresas, lojas e estabelecimentos de serviços há 1 511 clientes divididos nos escalões da seguinte forma: pagam até 15 euros por mês 9% dos clientes, entre 15 e 25 euros 29%, entre 25 e 35 euros 18%, de 35 a 50 euros 18% e a pagar mais de 50 euros mês estão 26% dos clientes.