Pesquisar notícia
terça,
18 jun 2024
PUB
Operação Páscoa

Treze mortos nas estradas nos três primeiros dias da operação Páscoa da GNR

9/04/2023 às 12:24
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

A operação Páscoa 2023 da GNR registou entre quinta-feira e sábado um total de 3.650 contraordenações rodoviárias, mais de metade por excesso de velocidade, e 668 acidentes, dos quais resultaram 13 mortos e 23 feridos graves.

Segundo os dados provisórios relativos à fiscalização e patrulhamento intensivo dos últimos três dias, de 06 a 08 de abril, divulgados pela Guarda Nacional Republicana (GNR), morreram em média mais de quatro pessoas por dia em acidentes de viação.

No primeiro dia de fiscalização, a GNR registou duas vitimas mortais resultantes de colisões, um homem de 37 anos e outro de 71 anos, respetivamente em Vila Nova de Gaia e Portel.

Na sexta-feira, um despiste em Lousada causou três mortes, dois homens de 62 e 42 anos e uma mulher de 52 anos.

Sábado foi o dia mais negro da operação, com um total de oito mortos: duas colisões, em Murtosa e Moimenta da Beira, que foram fatais para mulher de 55 anos e um homem de 52, e quatro despistes, um em Paredes, que vitimou uma criança de 10 anos, um em Penafiel, que matou um homem de 53 anos, um em Ourém, que causou a morte a um homem de 37 anos, e um em Trofa que que resultou em três vítimas mortais, três homens entre os 40 e 50 anos.

Além dos acidentes, os Comandos Territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito da GNR fiscalizaram 18.584 condutores, dos quais 237 conduziam com excesso de álcool e, destes, 135 foram detidos por conduzirem com uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2 g/l.

Foram ainda detidas 65 pessoas por conduzirem sem carta de condução.

Das 3.650 contraordenações rodoviárias registadas, 2.148 foram por excesso de velocidade, 300 por falta de inspeção periódica obrigatória, 104 por anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização, 117 por uso de telemóvel durante a condução, 205 por falta ou incorreta utilização de cintos de segurança ou sistemas de retenção e 112 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório.

A GNR apela à condução “atenta, cautelosa e defensiva” e alerta que terá especial preocupação com os comportamentos de risco dos condutores, como manobras perigosas, condução sob efeito de álcool e substâncias psicotrópicas, excesso de velocidade, correta sinalização e execução de ultrapassagens, mudanças de direção e cedência de passagem, utilização indevida do telemóvel, bem como não utilização correta do cinto de segurança.

A Operação “Páscoa 2023” da GNR vai estender-se até dia 11 de abril.

Lusa