Pesquisar notícia
terça,
18 jun 2024
PUB
Ucrânia

Solidariedade com o povo ucraniano em caminhada pela Rota PR4MAC de Ortiga (C/ÁUDIO E FOTOS)

6/03/2022 às 10:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Para meia centena de pessoas a manhã deste sábado, 5 de março, começou por volta das 09:00 no largo em frente à Liga Regional de Melhoramentos de Ortiga (LRMO). Os participantes na caminhada solidária com o povo ucraniano, agendada para o PR4MAC, rota das pesqueiras, começaram a chegar. Individualmente ou em grupo os participantes foram comentando a atualidade internacional enquanto aguardavam pelo início do passeio, ou indicações sobre a forma como iria decorrer.
À hora certa Leonel Mourato, presidente da Associação das Rotas de Mação começou por explicar a iniciativa. Entre o regresso às atividades de grupo, depois de dois anos muito “fechados” por via da pandemia, esta caminhada iria ter, também, a mensagem de apoio ao povo ucraniano que está a sofrer com os ataques da Rússia. E de forma simbólica explicou que existem duas famílias ucranianas no concelho que foram convidados para participar na caminhada.

Com a bandeira da Ucrânia pendurada como imagem de fundo da apresentação da iniciativa Leonel Mourato deixou clara a mensagem perante Olga Zayets, uma destas cidadãs que fez questão de estar presente e fazer todo o percurso.

 

Leonel Mourato

Presentes neste arranque da caminhada estiveram o presidente da Câmara Municipal de Mação, Vasco Estrela, assim como o presidente da Junta de Freguesia de Ortiga, Rui Dias, e o diretor do Agrupamento de Escolas Verde Horizonte, José António Almeida. Recorde-se que o Agrupamento tem uma parceria muito forte com a Associação das Rotas. É naquele local que está localizada a sede da Associação. E também é naquele local que vai existir um percurso para iniciar os mais novos, ou incutir-lhe o gosto pela orientação.

E foi o diretor do Agrupamento que deixou a nota sobre a solidariedade que deve estar imbuída no povo português, em geral, e nos jovens, em particular. E lembrou Mação integra, desde 3 de junho de 2016, a Rede UNESCO das Cidades da Aprendizagem.

 

José António Almeida

Já Vasco Estrela, o autarca de Mação, fez uma intervenção a dois tempos. O primeiro relacionado com o reinício destas atividades depois da pandemia. É hora de retomar este tipo de jornadas de convívio, muito mais com as Rotas de Mação a ganharem cada vez mais visibilidade nacional. E Ortiga passou a ter os passadiços junto ao Tejo, o que acrescenta ainda mais valor às atividades que se vão desenrolando.

 

Vasco Estrela

E na segunda parte da intervenção apontou aquilo que foi o simbolismo desta caminhada, a solidariedade para com o povo ucraniano. Vasco Estrela revelou ainda que na próxima semana a autarquia vai iniciar uma campanha ou uma atividade de apoio à Ucrânia e ao povo que está a sofrer com esta guerra.

Não havendo muito mais que fazer, nesta altura, pode ser dado um outro passo no eventual acolhimento de refugiados que possam vir nos próximos tempos das fronteiras daquele país.

 

Vasco Estrela

Olga Zayets, de lágrimas nos olhos apenas conseguiu articular um agradecimento a todos pelo apoio simbólico destas pessoas, desta iniciativa.

Depois, à Antena Livre, esta ucraniana que está em Portugal, e em Mação, há cerca de 20 anos explicou que vive este conflito com uma intensidade e um sentimento que, possivelmente, o comum dos portugueses pode não entender. É que Olga tem a sua família na Ucrânia, numa zona próxima da fronteira da Polónia. Mesmo ainda sem bombardeamentos próximos os seus familiares pretendem rumar a Portugal, mesmo sabendo que os seus dois filhos, na casa dos trinta anos, estão a combater os Russos, tal como todos os homens ucranianos com mais de 18 anos. Olga tem essa preocupação, mas espera mesmo que a família possa vir ter com ela.

Esta cidadã ucraniana acompanha as notícias que vão sendo conhecidas, mas revela que acompanha todos os acontecimentos através de páginas do seu país de origem, mas confessa ter dificuldades em dormir, em descansar.

 

Olga Zayets

Depois desta sessão vieram as indicações da caminhada. Saída de Ortiga rumo à praia fluvial de Ortiga, através de um percurso da PR4MAC. Foram 6.800 metros de um percurso com um grau de dificuldade baixo e com muita paisagem para poder observar. Logo à saída de Ortiga Leonel Mourato foi fazendo de guia, deixando muitas indicações aos caminhantes. Na praia fluvial houve reforço alimentar e uma explicação técnica das balizas de segurança que todas as rotas de Mação têm. Leonel Mourato aproveita alguns destes momentos para ir promovendo as rotas de Mação.

E entre estas explicações deixou algumas notas divertidas de pessoas que vêm para as caminhadas sem perceber que vêm para o campo. Entre lama nos trilhos e abelhas por perto são situações que existem para aqueles que vêm às caminhadas ou às rotas desde concelho.

 

Leonel Mourato

Na praia fluvial de Ortiga o presidente da Associação das Rotas de Mação fez questão de contar aos caminhantes uma curiosidade. Aquele local é o único canto do país em que a Beira Baixa está a sul do Alentejo. Apontou ao território de Belver e do concelho de Gavião, do lado de lá do curso de água para exemplificar aquilo que tinha acabado de dizer. É que estas caminhadas servem também para ficar a conhecer curiosidades destas terras.

 

Leonel Mourato

Depois foi passar a linha de caminhos de ferro da Beira Baixa e apontar o rumo ao Bairro dos Pescadores, onde começam os passadiços das lagoas do Tejo. Os passadiços foram inaugurados vai para duas semanas e Leonel Mourato deixou que há um desejo de ver um cais naquele local que permita o acesso a pessoas de mobilidade reduzida e de cadeiras de rodas. É que o primeiro troço dos passadiços tem cerca de um quilómetro sem escadas e isso permite o passeio a pessoas em cadeiras de rodas, por exemplo.

 

Leonel Mourato

Depois, na rota das pesqueiras, os participantes na caminhada pararam nas lagoas do Tejo. Uma das particularidades que existe na margem de Ortiga são as lagoas e as pesqueiras. São pontos de paragem obrigatória para quem anda pelos percursos de Mação.

E foi neste local que Leonel Mourato aproveitou para deixar outra mensagem, a de não deixar lixos quando se fizerem as caminhadas ou passeios pelas rotas. É que, afirmou, quando foi feita a limpeza, por parte da Câmara Municipal de Mação, foram recolhidos muitos sacos de lixo, plásticos e embalagens, destes locais. E isso não deverá acontecer.

Leonel Mourato

Depois dos passadiços foi subir ao miradouro da Boavista, de onde se pode apreciar a paisagem, a praia da Marambana, as torres da Central do Pego, ao longe, e a curva que o Rio Tejo faz, naquela zona, que deixa indícios muito vincados que o seu leito terá sofrido um desvio por intervenção humana.

A parte final, com o grupo muito partido, foi o regresso a Ortiga, passando pela Igreja e com o regresso ao ponto de partida. Nota de relevo, objetivo cumprido, sem qualquer incidente, e com o horário a ser cumprido. Partida às 09:30 e chegada por volta das 12:00. E para a maioria dos participantes a pergunta foi: quando é a próxima?