Pesquisar notícia
terça,
23 jul 2024
PUB
VN Barquinha

História das Tropas Paraquedistas vai ter Centro Interpretativo em Tancos

25/05/2024 às 15:03
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Foi assinado esta quinta-feira, dia 23 de maio, um protocolo que visa construir o “Centro Interpretativo das Tropas Paraquedistas”. Aproveitando o Dia da Unidade no Regimento de Paraquedistas, no Polígono Militar de Tancos, assinaram o protocolo Fernando Freire, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha, general Mendes Ferrão, Chefe do estado Maior do Exército, general Carlos Jerónimo, presidente da Direção do Pára-Clube Nacional “Os Boinas Verdes” e coronel Hilário Peixeiro, presidente da Direção da União Portuguesa de Paraquedistas.

“O objetivo é requalificar um edifício que se encontra confinante com a Estrada Nacional N.º 3, logo a seguir à Porta de Armas do Regimento de Paraquedistas. Nesse local vai nascer uma infraestrutura que pretende, no fundo, dignificar as Tropas Paraquedistas e mostrar a sua história, nomeadamente desde os anos do Ultramar, de 1961 até à atualidade”, informou Fernando Freire.

Para já, trata-se de um projeto que vai servir para a apresentação de uma candidatura à Linha + Interior Turismo, do Turismo de Portugal, “que rondará muito perto os 700 mil euros e estamos confiantes que, eventualmente, essa seja uma possibilidade exequível e que seja aprovada”.

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha adiantou ainda que “a ideia é ter conteúdos multimédia e conteúdos materiais onde se demonstre e evidencie toda a história das tropas Paraquedistas desde os seus primórdios no nosso território, em 1955, até às últimas intervenções que fizeram, nomeadamente na República Centro Africana”.

A temática militar foi definida como “produto emergente” pela estratégia Turismo 2027 e abriu-se agora a oportunidade para mostrar à comunidade todo o património pertencente às Tropas Paraquedistas, espalhado por todo o país. Mesmo dentro do Regimento, em Tancos, existe a Coleção Visitável “Museu das Tropas Paraquedistas”, criada no início da década de 90 do século passado e que “nunca sofreu nenhuma remodelação desde a sua criação.

“Perpetuar no tempo e no espaço a riqueza imaterial das Tropas Paraquedistas, através do investimento num projeto de reprogramação e reorganização museológica da Coleção Visitável” é então o grande objetivo deste protocolo agora assinado e que aguarda notícias favoráveis acerca da candidatura efetuada.

O Centro Interpretativo das Tropas Paraquedistas vai ter uma entrada para o público em geral a partir da EN3 para “não colocar em causa a segurança e operacionalidade” do Regimento de Paraquedistas. A visitação vai ser possível também por parte das Tropas Paraquedistas, por dentro das instalações militares, com entrada distinta da dos visitantes civis.