Pesquisar notícia
domingo,
26 mai 2024
PUB
Aeroporto

Governo segue recomendação da CTI e escolhe Alcochete (C/ÁUDIO

14/05/2024 às 20:25
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

O Governo aprovou hoje a construção do novo aeroporto da região de Lisboa em Alcochete, seguindo a recomendação da Comissão Técnica Independente (CTI), anunciou o primeiro-ministro, Luís Montenegro.

"O Governo decidiu aprovar o desenvolvimento do novo aeroporto de Lisboa com vista à substituição integral do Aeroporto Humberto Delgado no campo de tiro de Alcochete e atribuir-lhe a denominação de Aeroporto Luís de Camões”, anunciou Luís Montenegro, numa declaração ao país, após uma reunião extraordinária do Conselho de Ministros, esta tarde.

A CTI publicou no dia 11 de março o relatório final da avaliação ambiental estratégica do novo aeroporto, mantendo a recomendação de uma solução única em Alcochete, a mais vantajosa, ou Vendas Novas, apontando ainda que Humberto Delgado + Santarém poderia ser uma solução transitória.

O PSD decidiu constituir um grupo de trabalho interno para analisar a localização do novo aeroporto de Lisboa, depois de ter acordado com o PS a constituição de uma CTI para fazer a avaliação ambiental estratégica.

O presidente social-democrata, Luís Montenegro, garantiu, antes de ser eleito, que a decisão seria tomada “nos primeiros dias” de Governo.

Luís Montenegro anunciou, numa declaração ao país a partir da residência oficial do primeiro-ministro, em Lisboa, que o Governo escolheu Alcochete (distrito de Setúbal) para a localização do novo aeroporto internacional de Lisboa, seguindo a recomendação da Comissão técnica Independente (CTI) criada por acordo entre o PSD e o anterior Governo do PS.

“Disse, nessa ocasião, como é justo dizer que também o fez o anterior primeiro-ministro, que um ano de trabalho da CTI não significava atrasar mais um ano uma decisão que se aguardava há 50 anos”, defendeu.

Para Montenegro, “este ano de avaliação era imprescindível e a forma adequada de desbloquear o processo”.

“Nem era precipitação irresponsável nem era adiamento passivo. Quero hoje, como primeiro-ministro, afirmar que estas decisões, apesar de rápidas, são ponderadas, fundamentadas e estratégicas para o futuro de Portugal”, afirmou.

“O interesse nacional não reclama apenas uma decisão, reclama que se tome a melhor decisão com base na melhor informação”, reforçou.

Lusa

Palavras chave:
Aeroporto Alcochete