Pesquisar notícia
quinta,
21 out 2021
PUB
Sociedade

ETAR do Rossio vandalizada podia ter provocado um incidente ambiental grave (C/ ÁUDIO)

14/05/2020 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

A Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) da Margem Sul, situada em Rossio ao Sul do Tejo e que fica situada nas imediações da antiga “Pedreira do Mendes”, entre a Estrada Nacional 118 e a estrada municipal de acesso a S. Miguel do Rio Torto, foi alvo de atos de vandalismo. A infraestrutura recebe e trata os esgotos de Rossio ao Sul do Tejo, fica situada em local afastado das estradas e é gerida pela empresa que tem a concessão da gestão da rede de saneamento do concelho de Abrantes, Abrantaqua.

Os atos de vandalismo, segundo a informação prestada pelo presidente da Câmara Municipal de Abrantes, Manuel Jorge Valamatos, “não terão sido aleatórios e poderiam ter provocado um incidente ambiental”. A informação do autarca aos vereadores revelou ainda que a engenheira responsável pela empresa concessionária terá informado a Câmara, que é a dona da infraestrutura, daquilo que ficou destruído. No entanto, segundo o presidente do Município, não se verificou qualquer descarga de efluentes e os prejuízos ainda não foram revelados. Certo é que a estrutura já está a novamente em funcionamento pleno.

Manuel Jorge Valamatos disse ainda que o incidente estará a ser investigado pelas autoridades, incluindo a Polícia Judiciária, segundo as informações que lhe tinham sido prestadas pela empresa Abrantaqua. E adiantou ainda que poderia ter sido uma situação grave caso tivesse havido derrame descontrolado para o rio.

Manuel Jorge Valamatos fala num ato de vandalismo que podia ter tido consequências graves 

A Antena Livre soube, entretanto, que o caso foi detetado no dia 17 de abril cerca das 17:30 quando uma equipa da empresa Abrantaqua foi ao local e verificou os vários danos. Neste sentido, a empresa chamou ao local a GNR que esteve presente com militares do posto territorial do Tramagal, que tem as responsabilidades por aquele território. A Antena Livre conseguiu saber ainda que estiveram também no local investigadores do Núcleo de Investigação Criminal de Abrantes.

Quanto à empresa concessionária, a Antena Livre sabe que a responsável esteve no local e chamou as autoridades. Inês Oliveira disse não poder comentar o assunto por política interna da Abrantaqua, pelo que enviámos um conjunto de perguntas por email. A resposta às questões veio em dois parágrafos: “No passado dia 17 de abril, na ETAR da Margem Sul, foi verificado um ato de vandalismo, com impacto ao nível do seu funcionamento. De imediato foram chamadas as autoridades policiais e de investigação que tomaram conta da ocorrência, tendo a operacionalidade da ETAR sido restabelecida com rapidez, não tendo sido verificados quaisquer problemas ambientais, nem sido constatado qualquer derrame exterior”.

 Imagem de satélite Google Maps