Pesquisar notícia
quinta,
18 jul 2024
PUB
Incêndios

Dispositivo de combate a incêndios entra hoje na capacidade máxima

1/07/2024 às 08:44
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

O dispositivo de combate a incêndios rurais é hoje reforçado para entrar na sua capacidade máxima, passando a estar em prontidão 14.155 operacionais, 3.162 equipas e 3.174 viaturas com os meios aéreos a poderem chegar aos 72.

A Diretiva Operacional Nacional (DON), que estabelece o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) para este ano, indica que os meios são reforçados hoje pela terceira vez este ano com a entrada em vigor do denominado ‘reforçado – nível Delta’, que se prolonga até 30 de setembro.

Nos próximos três meses, vão estar operacionais 14.155 efetivos, 3.162 equipas e 3.174 veículos, números que podem aumentar em caso de necessidade, uma vez que o DECIR deste ano prevê a mobilização de meios adicionais para responder a situações mais graves.

Nesta situação, o número de elementos em combate pode ultrapassar os 20.000, um reforço que é feito sobretudo com os bombeiros voluntários.

O DECIR deste ano prevê para este período, que é considerado o mais crítico, 70 meios aéreos, que podem chegar aos 72 com a contratação de dois aviões pesados ‘canadair’, estando o processo de contrato ainda a decorrer.

Do total dos operacionais envolvidos, o maior número pertence aos bombeiros (8.061), dos quais 3.794 são das Equipas de Intervenção Permanente, seguido do ICNF (2.430), da GNR (1.946) e da Força Especial de Proteção Civil (216), segundo a DON.

O dispositivo de combate para este ano aumentou ligeiramente em relação a 2023, à exceção dos meios aéreos, cujo número é idêntico, estando no combate aos fogos mais 261 operacionais, mais 78 equipas e mais 183 viaturas.

Dados provisórios do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) indicam que desde o início do ano deflagraram 1.796 incêndios rurais, que consumiram cerca de 2.918 hectares, 56% dos quais referente a matos, 19% a povoamentos florestais e 25% a terrenos agrícolas.

No mesmo período de 2023, tinham já ocorrido quase 4.000 incêndios e ardido cerca de 8.800 hectares.

Lusa