Pesquisar notícia
domingo,
28 nov 2021
PUB
Sociedade

Constância: Astronomia e arte poética no Planetário de Ptolomeu

20/07/2020 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Nas noites de 31 de julho e de 21 de agosto vai ser possível observar o céu com versos d’Os Lusíadas por perto no cenário do Planetário de Ptolomeu do Jardim-Horto de Camões, em Constância.

As ações, integradas no programa Ciência Viva no Verão 2020, resultam de uma parceria entre o Centro Ciência Viva de Constância e a Associação da Casa-Memória de Camões e serão dinamizadas pelo astrónomo Máximo Ferreira e pela professora de Português e camonista Ana Maria Dias.

No Planetário, implantado num anfiteatro ao ar livre que representa a conceção geocêntrica do universo como era entendida no tempo de Camões, cruzar-se-ão os conhecimentos de astronomia, da época e de agora, “com a profundidade e a beleza das estrofes d’Os Lusíadas em que o épico explanou a sua arte e o seu saber”.

Assim, dia 31 de julho (sexta-feira), das 21 às 24 horas, o programa é o seguinte:

Observar o céu noturno no Planetário de Ptolomeu do Jardim-Horto de Camões.

Conversa breve sobre o conceito geocêntrico do mundo e pormenores da descrição que Camões faz (na forma de lição que Tétis dá a Vasco da Gama, na ilha dos amores) do conhecimento astronómico da época.

Identificação de algumas constelações citadas por Camões em Os Lusíadas.

Referências aos “astros errantes” e aos céus onde “residem”, segundo a descrição de Tétis: Lua, no primeiro céu; Júpiter, no sexto céu e Saturno, no sétimo céu.

Observações – através de telescópio ligado aos telemóveis dos participantes via Wi-Fi – da Lua, de Júpiter e de Saturno.

 

No dia 21 de agosto (sexta-feira), das 21 às 24 horas

Observar o céu noturno no Planetário de Ptolomeu do Jardim-Horto de Camões.

Conversa breve sobre o conceito geocêntrico do mundo e pormenores da descrição que Camões faz (na forma de lição que Tétis dá a Vasco da Gama, na ilha dos amores) do conhecimento astronómico da época.

Identificação de algumas constelações citadas por Camões em Os Lusíadas.

Referências aos “astros errantes” e aos céus onde “residem”, segundo a descrição de Tétis: Júpiter, no sexto céu e Saturno, no sétimo céu.

Observação – através de telescópio ligado aos telemóveis dos participantes via Wi-Fi – de Júpiter e de Saturno.

Observação – através de telescópio ligado aos telemóveis dos participantes via Wi-Fi – da nebulosa “anel da Lira”, do “enxame de Hércules” e da galáxia de Andrómeda.

 

De forma a garantir o cumprimento das normas recomendadas pela Direção-Geral da Saúde, designadamente o limitado número de pessoas presentes, a participação depende de inscrição prévia em www.cienciaviva.pt/veraocv/2020.