Pesquisar notícia
quinta,
18 abr 2024
PUB
Buscas

Abrantes: Idoso de 80 anos continua por encontrar (C/ÁUDIO E FOTOS)

11/03/2021 às 20:16
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter
Créditos Antena Livre

José António da Conceição Maria, mais conhecido por José Louceiro, continua desaparecido desde a última terça-feira, dia em que foi visto pela última vez em Abrantes. O homem, residente em Chainça sofre de Alzheimer e foi visto na zona, sabe-se agora, próximo das bombas de abastecimento de combustível do Pingo Doce.

Desde terça-feira que a família encetou os primeiros esforços para o encontrar, depois de darem conta que não regressou a casa. Ontem, quarta-feira, foram acionados os mecanismos que levaram as autoridades locais a iniciarem as buscas. Foram envolvidos meios da PSP, GNR (na sua área territorial), Bombeiros de Abrantes, Proteção Civil Municipal e ainda Junta de Freguesia de Abrantes e Alferrarede. A este dispositivo juntou-se ainda alguns familiares.

Na altura do desaparecimento, José António, de 80 anos, vestia camisa, xadrez verde, calças cinzentas escuras, boné branco.

Há dois avistamentos considerados credíveis por parte da PSP. Um, confirmado pelo genro, que viu as imagens da bomba de gasolina do Pingo Doce e identificou o sogro cerca das 14:30 de terça-feira. E depois há um outro avistamento na Av. D. João I ainda nessa tarde.

Uma vez que na quarta-feira não houve sinal deste homem os meios de busca foram reforçados esta quinta-feira com uma unidade de drones da PSP, de manhã, e à tarde com uma equipa cinotécnica, constituída por quatro binómios da Unidade Especial de Polícia (UEP) mantendo-se no terreno todos os meios locais.

Manuel Jorge Valamatos

A Antena Livre acompanhou as buscas durante a tarde 

Às 14 horas na sala de situação do Quartel dos Bombeiros Voluntários de Abrantes, que no hangar recebia as pessoas convocadas para a vacinação contra a Covid-19, juntaram-se todas as entidades que participam nas buscas. Neste briefing este ainda presente Manuel Jorge Valamatos como responsável pela Proteção Civil de Abrantes que disse estar muito preocupado, tanto mais que na noite de terça para quarta-feira, ainda andou, de carro, às voltas por Abrantes e Chainça, depois de ter tido conhecimento do desaparecimento.

A todos os presentes é apresentada a carta topográfica digital da encosta norte da cidade de Abrantes com a delimitação de áreas vermelhas e azuis. Estas manchas indicavam as zonas já batidas nas buscas, as vermelhas pelas equipas apeadas e as azuis pelos drones da PSP. E na linha de trabalho o comissário Nuno Ponciano, comandante da esquadra de Abrantes da polícia, começa a dar algumas indicações de acordo com as forças policiais no terreno por forma a adequar todos os meios acionados.

É definida a área de trabalho dos drones que fizeram toda a zona da encosta do hipermercado Pingo Doce até ao hipermercado Continente. Para além da visualização pormenorizada os drones estão equipados com sensores térmicos que permitem identificar “pontos quentes” mesmos onde não seja visível, a olho nu, qualquer pessoa ou corpo. Neste sentido os Bombeiros de Abrantes têm três equipas em prontidão para ir a locais que possam ser referenciados pela equipa dos drones da PSP.

A equipa cinotécnica da UEP bateu, em dois momentos, a zona mais próxima da residência de José Louceiro. Foram criados “dois círculos” um primeiro, mais próximo da residência, e um segundo mais afastado. Sempre acompanhados por um agente da PSP de Abrantes, pelo genro de José Louceiro e por um elemento da Proteção Civil de Abrantes, a equipa especialista quis percorrer os circuitos que José Louceiro percorria nas suas caminhadas.

A espaços, nas hortas e terrenos baldios os cães, à vez, eram colocados no terreno. Um dos agentes explicou que os animais estão treinados para detetar odor humano que anda no ar, que pode “circular” com o vento. Em caso de poderem fazer essa deteção sinalizam e tentam ir ao encontro da fonte que liberta esses odores. “Quando há uma sinalização, se não for muito exata, confirmamos com outro cão”, explicou um dos agentes.

Não foi o caso desta tarde. Uma dezena de terrenos “vasculhados” pela UEP e os animais não deram sinal de qualquer presença naquelas zonas. Mesmo assim os agentes da equipa cinotécnica sinalizaram alguns poços da zona no sentido de poder haver um despiste através de sondas para aferir as possibilidades de uma eventual queda para aqueles locais, alguns perigosos.

Enquanto a equipa cinotécnica da UEP percorria a zona de Chainça, Santa Luzia e S. Lourenço, a equipa de drones batia, pelo ar, outras zonas mais próximas das zonas comerciais de Abrantes e a outra equipa apeada da União de Freguesias de Abrantes e Alferrarede, Proteção Civil e Bombeiros circulava pela zona de S. Lourenço.

O briefing previsto para as 17 horas foi cancelado porque as autoridades policiais entenderam aproveitar toda a luz do dia possível para manter os drones no ar, intensificando o trabalho. Recorde-se que José Louceiro desapareceu há mais de 48 horas.

A Antena Livre sabe que esta sexta-feira o mesmo dispositivo de hoje vai continuar no terreno a partir das 08:30, incluindo a equipa de drones da PSP e a equipa cinotécnica da UEP.

Uma última nota para as muitas pessoas que procuraram oferecer ajuda para integrar as equipas de busca, mas em tempos de pandemia não possível fazer grandes ajuntamentos. Mesmo assim a Proteção Civil de Abrantes deixa a nota para as pessoas, nas caminhadas pela Chainça e S. Lourenço, poderem ir olhando para os terrenos. Qualquer informação sobre este idoso poderá ser direcionada para a PSP, Bombeiros de Abrantes ou Proteção Civil de Abrantes.

José Louceiro