Pesquisar notícia
terça,
23 jul 2024
PUB
Sociedade

5 erros que não deve cometer ao pedir crédito habitação

25/05/2023 às 12:07
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Pedir crédito habitação é uma etapa importante na realização do sonho de ter casa própria. No entanto, é essencial estar consciente dos erros que podem comprometer a obtenção do financiamento ou torná-lo mais dispendioso. Neste artigo, vamos destacar os cinco erros mais comuns que não deve cometer ao solicitar crédito habitação. Ao evitar estes erros, estará mais bem preparado para garantir as melhores condições de crédito habitação e realizar o objetivo de ter a sua casa.

 

1. Não comparar simulações de diferentes instituições financeiras

Um dos erros mais comuns no crédito habitação é não realizar várias simulações emdiferentes instituições financeiras. Cada banco tem políticas e condições distintas. Ao não realizar essa comparação, poderá correr o risco de aceitar uma oferta menos vantajosa e acabar por pagar mais pelo crédito. Portanto, não se limite a fazer só uma simulação no seu banco, quem sabe se não consegue obter melhores condições para o seu crédito habitaçãonoutro banco e assim poupar dinheiro?

Dito isto, investir tempo na pesquisa e comparação de propostas é essencial para encontrar a solução mais adequada para o seu caso.

De forma a melhor comparar as simulações obtidas nas várias entidades financeiras, deixamos-lhe aqui algumas dicas:

. Escolha o prazo do crédito habitação adequado ao seu caso e tenha presente que nem sempre um prazo maioré melhor. Lembre-se que quanto mais longo for o prazo do empréstimo, mais juros irá pagar e, por sua vez, mais caro ficará o seu crédito. O ideal é escolher um prazo mais curto, tendo sempre o cuidado para que a prestação mensal não vá além daquilo que pode suportar financeiramente.

. Optar por um spread mais baixo pode ser tentador, mas tenha em atenção que normalmente um spread reduzido tem como compromisso a contratação de vendas associadas facultativas que nada mais são do que produtos adicionais, como contas à ordem, cartões de crédito, seguros, PPR’s entre outros produtos financeiros que podem encarecer o seu empréstimo.

. Escolha a taxa de juro certa para si. Em Portugal existem três taxas de juro distintas:

     . A Taxa Fixa – que, como o nome indica, mantêm-se fixa durante todo o empréstimo, independentemente das flutuações das taxas de juro;

     . A Taxa Mista – constituída por um período de taxa fixa (ex: 5 ou 10 anos), seguido de taxa varável indexada à Euribora6 ou 12 meses durante o restante período do empréstimo;

     . A Taxa Variável – que está sujeita às flutuações do mercado durante todo o prazo do empréstimo.

Nota importante: Tenha em atenção que ao comparar propostas, deve comparar simulações com as mesmas condições de empréstimo (Prazo, taxa de juro, valor de empréstimo).

 

2. Não conhecer a sua taxa de esforço

Antes de solicitar crédito habitaçãoé importante conhecer a sua taxa de esforço. Normalmente as instituições financeiras avaliam a taxa de esforço para determinar a sua elegibilidade e definir as condições do empréstimo. A sua taxa de esforço, ou seja, a capacidade de fazer face às despesas com créditos (incluindo o crédito habitação) não deve ser superior a 40% e idealmente, deverá estar mesmo abaixo dos 35%.

 

3. Não poupar para a entrada inicial

Outro erro comum é não ter o valor necessário para a entrada inicial. Atualmente, de acordo com as regras do Banco de Portugal, é necessário ter capitais próprios para dar um valor de entrada mínimo de 10% na compra dacasa. Ignorar esse requisito pode comprometer a concretização do sonho de ter casa própria.

Dica: Quanto maior for o valor de entrada, maiores serão as probabilidades de ver o seu crédito habitação aprovado e, por conseguinte, obter melhores condições de empréstimo.

 

4. Não prever os custos adicionais

Ao pedir crédito habitação, muitas pessoas cometem o erro de não prever os custos adicionais envolvidos na compra de uma casa, como: impostos, custos com a escritura, registos, seguros, despesas bancárias e custos de avaliação do imóvel. É essencial incluir esses custos no seu planeamento financeiro, de modo a evitar surpresas e garantir que possui os recursos necessários. Não considerar essas despesaspode comprometer quer a contratação do crédito habitação quer a compra da casa.

 

5. Não ler e compreender as condições do contrato

Por fim, mas não menos importante, um erro que deve ser evitado é não ler e compreender as condições do contrato de crédito habitação antes de o assinar. É essencial que esteja ciente de todos os termos, cláusulas, custos e obrigações envolvidas no empréstimo. Ler o contrato com atenção e, se necessário, procurar aconselhamento especializado são uma forma de conhecer melhor a responsabilidade que está a assumir e os seus impactos.

 

6. Fator extra

Escolher uma entidade financeira capaz de esclarecer todas as suas dúvidas e questões é também um fator importante a ter em conta. Ao procurar crédito habitação não deixe de consultar entidades financeiras especialistas em crédito habitação, como a UCI, que além de soluções adaptadas para cada cliente, disponibilizam também um acompanhamento personalizado em todas as fases do processo, para que saiba tudo sobre o seu crédito habitação.

 

Conclusão

Ao pedir crédito habitaçãoé crucial evitar erros que possam comprometer os seus esforços na obtenção do empréstimo. Ao seguir estas orientações, estará mais bem preparado para solicitar crédito habitação de forma inteligente e segura, aproximando-se ainda mais do sonho de ter a sua casa.