Pesquisar notícia
terça,
18 jun 2024
PUB
Abrantes

Maternidade e Obstetrícia do Centro Hospitalar Médio Tejo sem fecho programado até final do ano

16/12/2023 às 12:27
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

O Serviço de Urgência de Ginecologia-Obstetrícia e a Maternidade do Centro Hospitalar Médio Tejo (CHMT), localizada em Abrantes, já não vão encerrar no sábado, como previsto, não havendo fechos programados até final do ano, indicou hoje fonte do CHMT.

Em comunicado, o Conselho de Administração (CA) do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT), no distrito de Santarém, disse hoje que os constrangimentos previstos para sábado no Serviço de Urgência de Ginecologia-Obstetrícia e Maternidade do CHMT “foram integralmente ultrapassados”, com a disponibilização de um clínico para assegurar o turno da escala em falta.

Assim, acrescenta o CHMT, “todas as grávidas e utentes, com patologia urgente do foro ginecológico do Médio Tejo, têm assistência médica e cuidados de saúde garantidos, de forma ininterrupta, todos os dias desta semana”.

Contactado pela Lusa, o presidente do CA do CHMT, Casimiro Ramos, confirmou que aquele serviço já não vai encerrar no sábado e que, “no que diz respeito à maternidade, não está previsto nenhum fecho programado” até final do ano.

“Estamos em cima do acontecimento para garantir a abertura constante. No momento, ainda há dois ou três dias com dificuldade de encontrar profissional para preencher a escala. Falando diretamente, e até em termos informativos, para os dias 24 e 31 até há dois/três dias ainda não tínhamos conseguido o profissional, mas estamos a trabalhar para isso. De resto, a não ser que aconteça qualquer circunstância imprevista, a escala está praticamente completa”, afirmou.

Para Casimiro Ramos, “foi graças ao esforço e dedicação dos profissionais de saúde do Serviço de Ginecologia-Obstetrícia que a contingência programada e anunciada pela Direção Executiva do Serviço Nacional de Saúde foi superada”.

Por outro lado, a urgência pediátrica do CHMT, instalada em Torres Novas, está a encerrar aos fins de semana, entre as 09:00 de sábado e as 09:00 de segunda-feira, desde novembro e até final do ano, indicou o administrador hospitalar.

“Todos nós temos noção dos constrangimentos que isto traz para as famílias e para as pessoas, mas, humanamente, não temos outras condições”, disse Casimiro Ramos.

Casimiro Ramos presidente CA CHMT

Segundo o responsável, o motivo para o encerramento semanal daquela urgência pediátrica é o insuficiente número de pediatras para ter escalas completas.

Constituído pelas unidades hospitalares de Abrantes, Tomar e Torres Novas, separadas geograficamente entre si por cerca de 30 quilómetros, o CHMT funciona em regime de complementaridade de valências, abrangendo uma população na ordem dos 266 mil habitantes de 11 concelhos do Médio Tejo, a par da Golegã, da Lezíria do Tejo, também do distrito de Santarém, Vila de Rei, de Castelo Branco, e ainda dos municípios de Gavião e Ponte de Sor, ambos de Portalegre.

Trinta e três serviços de urgência em todo o país vão estar a funcionar até domingo, dia 17, com limitações, sendo as especialidades com mais constrangimentos nas urgências as de cirurgia geral, pediatria, ortopedia e ginecologia e obstetrícia, onde estava incluída a do CHMT, indicou a Direção Executiva do Serviço Nacional de Saúde.

Lusa