Pesquisar notícia
sexta,
09 dez 2022
PUB
Abrantes

Hospital inicia obras de 1,8 ME para serviços de Consulta Externa e Gastroenterologia (C/ ÁUDIO e VÍDEO)

30/09/2022 às 15:11
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

As obras de construção das novas instalações das Consultas Externas e do serviço de Gastroenterologia do Hospital de Abrantes, um investimento de 1,8 milhões de euros, arrancam na segunda-feira, anunciou hoje o Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT).

“A requalificação e modernização das instalações das Consultas Externas e do Serviço de Gastroenterologia da Unidade Hospitalar de Abrantes do CHMT é um projeto que vai oferecer melhores condições técnicas e de conforto para profissionais de saúde e para os doentes”, disse à Lusa Casimiro Ramos, presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar.

Segundo o gestor do CHMT, que abarca as unidades hospitalares de Abrantes, Tomar e Torres Novas, a empreitada “tem um prazo de execução estimado de 10 meses”, sendo que as obras “vão decorrer num perímetro desativado, sem provocar constrangimentos para os utentes ou para a atividade programada”.

Assim, a partir de segunda-feira, as Consultas Externas da Unidade Hospitalar de Abrantes “regressarão ao piso 02, a localização anterior à reorganização dos serviços à qual a pandemia [de covid-19] obrigou”, e “também o Serviço de Medicina Física e Reabilitação regressará ao seu local de origem”, igualmente no piso 02, na sequência do encerramento da Área de Doentes Respiratórios (ADR) dedicada à covid-19.

A reorganização do Serviço da Consulta Externa “é temporária”, porque, disse o responsável, “decorrerão em simultâneo com esta empreitada as obras de requalificação e ampliação do Serviço das Urgências Médico-Cirúrgicas da Unidade Hospitalar de Abrantes”, investimento na ordem dos 2,9 milhões de euros (já com IVA incluído) que se espera que se inicie “muito em breve”.

“Esta obra é extremamente importante para a prestação de cuidados de saúde à população em regime de ambulatório, mas permite, paralelamente, a ampliação do Serviço da Urgência Médico-Cirúrgica de Abrantes, cuja empreitada se encontra dependente desta obra e da finalização do procedimento administrativo subjacente que deverá estar brevemente concluído”, afirmou Casimiro Ramos.

Casimiro Ramos, presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar 

Após a finalização da empreitada que se inicia na segunda-feira, os serviços das Consultas Externas e da Gastroenterologia da Unidade Hospitalar de Abrantes passarão a estar instalados no terceiro piso, ocupando as antigas instalações do Centro de Saúde, que estão agora desocupadas.

“As futuras instalações dos Serviços das Consultas Externas e de Gastroenterologia da Unidade de Abrantes apresentam como principal vantagem a concentração dos serviços de saúde ambulatórios num mesmo local, longe da agitação que caracteriza o Serviço de Urgência da Unidade Hospitalar de Abrantes, junto ao qual atualmente se localizam”, frisou.

Segundo o gestor, “a nova localização permite, também, a criação de uma área de receção e acolhimento do utente mais moderna e autónoma”, com o Serviço de Gastroenterologia da Unidade de Abrantes do CHMT “a beneficiar também com a sua transferência para o terceiro piso da Unidade Hospitalar de Abrantes, aumentando a área dedicada” a esta especialidade.

Com uma área de intervenção de cerca de mil metros quadrados, serão construídos onze gabinetes dedicados às Consultas Externas, três gabinetes alocados ao serviço de Gastroenterologia e três salas de exames desta especialidade, além de uma sala cirúrgica e duas zonas de recobro.

“A concretização destes dois ansiados projetos vai permitir o exercício de uma medicina segura, moderna e diferenciada pelas equipas de profissionais de saúde do CHMT à população”, afirmou Casimiro Ramos.

Constituído pelas unidades hospitalares de Abrantes, Tomar e Torres Novas, separadas geograficamente entre si por cerca de 30 quilómetros, o CHMT funciona em regime de complementaridade de valências, abrangendo uma população na ordem dos 266 mil habitantes de 11 concelhos do Médio Tejo, a par da Golegã, da Lezíria do Tejo, também do distrito de Santarém, Vila de Rei, de Castelo Branco, e ainda dos municípios de Gavião e Ponte de Sor, ambos de Portalegre.

Lusa