Pesquisar notícia
quinta,
18 jul 2024
PUB
Urgências Pediátricas

Direção Executiva do SNS garante urgências materno-infantis

24/06/2024 às 16:42
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

A Direção Executiva do Serviço Nacional de Saúde (DE-SNS) assegurou hoje que as 12 urgências de obstetrícia e pediatria encerradas estão a funcionar em rede com outras unidades, garantindo o acesso a cuidados de saúde a todos os utentes.

“Estes serviços de urgência que manifestam alguns constrangimentos têm a urgência interna em funcionamento, sendo que, alguns estão dotados de capacidade de receber casos urgentes referenciados pelos Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e pela Linha SNS 24 grávidas”, refere a DE-SNS em comunicado.

No âmbito dos Serviços de Urgência de Obstetrícia e Pediatria do SNS, a DE-SNS esclarece que “o Plano de Verão, previamente anunciado pelo Governo, está a ser cumprido sem qualquer dificuldade e que as 12 urgências que este domingo apresentam constrangimentos estão a funcionar em rede com outras unidades, garantindo assim o acesso a cuidados de saúdes a todos os utentes”.

Realça ainda que há 125 serviços de urgência em Portugal continental que estão hoje abertos 24 horas.

Em particular, sobre os serviços de urgência de ginecologia e obstetrícia localizados na Região de Lisboa e Vale do Tejo, afirma que “o plano assistencial está a ser cumprido”.

“As três maternidades localizadas na Península de Setúbal estão a desenvolver a sua atividade em modelo de rotatividade semanal, garantindo aqui uma urgência sempre aberta ao exterior”, salienta.

No caso da Grande Lisboa, as urgências de obstetrícia/ginecologia ao fim de semana estão asseguradas através da abertura permanente da Maternidade Alfredo da Costa e do Hospital de Cascais, que são apoiados pelo Hospital de São Francisco Xavier um fim de semana por mês e pelo Hospital Fernando Fonseca (Amadora-Sintra) outros dois fins de semana por mês.

A DE-SNS adianta que, no caso dos hospitais de Caldas da Rainha, do Médio Tejo e de Santarém, também existe uma coordenação para que resposta ao nível da urgência de obstetrícia/ginecologia seja alternada.

“Também ao nível das urgências obstétricas/ /ginecológicas, o Hospital de Vila Franca de Xira e o Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, funcionam, igualmente, de forma alternada”, acrescenta.

Recorda que este plano para as urgências de obstetrícia da Região de Lisboa e Vale do Tejo foi acordado entre o Ministério da Saúde, com os diretores clínicos e presidentes dos conselhos de administração dos hospitais envolvidos, em reuniões que contaram também com a colaboração do colégio de Obstetrícia da Ordem dos Médicos.

Sublinha que “o reforço do trabalho em rede entre as equipas de instituições hospitalares e dos cuidados de saúde primários, assim como o planeamento estratégico atempado da resposta”, é uma das suas missões centrais.

A Direção Executiva do SNS refere que é o “organismo responsável por estabelecer a estratégia adequada para assegurar uma cultura de previsibilidade, segurança e confiança na utilização dos serviços de saúde, bem como uma utilização que maximize os recursos disponíveis e induza um melhor planeamento”.

No comunicado, agradece “a todas as equipas profissionais de saúde do SNS que têm permitido, numa época tão difícil como o verão, continuar a assegurar aos cidadãos cuidados assistenciais de urgência em segurança e com qualidade”.

Lusa