Pesquisar notícia
quarta,
17 ago 2022
PUB
Saúde

CHMT reforçou atividade assistencial à população nos primeiros seis meses do ano

6/07/2022 às 12:33
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) – constituído pelas Unidades de Torres Novas, Abrantes e Tomar – reforçou nos seis primeiros meses do ano a atividade assistencial à população dos 14 concelhos da sua área de influência.

A recuperação da atividade cirúrgica foi uma das prioridades assumidas pelo CHMT para 2022, e os números do primeiro semestre revelam o esforço da instituição e dos seus profissionais, num contexto pandémico que se manteve de grande pressão para as instituições hospitalares, devido variante Ómicron da COVID-19.

Apesar da situação epidemiológica da COVID-19 muito ativa, foram realizadas no CHMT mais 1087 cirurgias do que no semestre homólogo de 2021, num total de 4.588 atos cirúrgicos, expressando um crescimento de 31% face ao mesmo período do ano passado. Deste total de cirurgias há a destacar as 721 cirurgias urgentes executadas pelo CHMT – um acréscimo de 8% face aos atos cirúrgicos que foram realizados no período homólogo de 2021, e 5% acima das cirurgias realizadas em 2019, ano de referência assistencial do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Os profissionais de saúde dos Serviços de Urgência das três unidades do CHMT reforçaram a sua assistência à população em níveis históricos, dando pronta resposta a 75.059 episódios de urgência nos seis primeiros meses de 2022, um aumento de 47% face ao período homólogo de 2021, e 2% acima dos níveis recorde registados em 2019.

Na valência da consulta externa, no primeiro semestre deste ano foram realizadas um total de 89.502 consultas, um número que revela um aumento de seis por cento face ao mesmo período de 2021. O reforço da atividade assistencial é mais expressivo nas primeiras consultas: foram realizadas 33.801 primeiras consultas, um crescimento de 13% face ao período homólogo de 2021. Já as consultas domiciliárias cresceram 29% homólogos, e realizaram-se 15.829 sessões de “Hospital de Dia” nas três unidades do CHMT – mais 15% do que nos primeiros seis meses de 2021.

Na Maternidade da Unidade de Abrantes foram realizados 352 partos (mais 4% de nascimentos do que aqueles que se registaram no mesmo período de 2021).

A COVID-19 manteve-se muito presente ao longo do primeiro semestre de 2022 na região do Médio Tejo. Passaram pelo internamento dedicado à COVID do CHMT 968 utentes, dos quais 65 precisaram de cuidados de saúde altamente diferenciados prestados na Unidade de Cuidados Intensivos da instituição.

O pico de internamentos COVID-19 do primeiro semestre do ano ocorreu nas primeiras duas semanas de junho, com uma média semanal de 54 doentes internados. Esse valor desceu na última semana de junho, para 32 utentes internados em enfermaria, e mantém uma tendência decrescente na primeira semana de julho. Há a lamentar 212 óbitos de utentes com COVID-19. Cerca de metade (48%) dos óbitos ocorreram na faixa etária acima dos 90 anos de idade.

“O nosso compromisso com a população do Médio Tejo é muito claro, e mantemo-nos focados em levar mais e melhores cuidados de saúde a todos os nossos utentes, contando para tal com uma equipa coesa, inovadora e com elevado sentido de missão”, afirma Casimiro Ramos, presidente do Conselho de Administração do CHMT, que realça que “apesar das dificuldades e desafios mais recentes, mantemos como objetivo igualar ou mesmo superar o nível assistencial de 2019, ano de referência do SNS. Em alguns indicadores, como a cirurgia urgente, o serviço de urgência e a hospitalização domiciliária, já estamos acima dessa fasquia, o que revela cuidados de saúde emergentes, esforço dos profissionais envolvidos no desígnio da saúde pública”. Casimiro Ramos afirma ainda que “durante os próximos seis meses do ano vamos continuar a trabalhar com a mesma dedicação, para garantir à população que podem contar com o SNS e com o CHMT em qualquer circunstância”.