Pesquisar notícia
terça,
31 jan 2023
PUB
Crise saúde

Urgências de obstetrícia vão funcionar de forma rotativa em Lisboa e Vale do Tejo até março

13/01/2023 às 18:55
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

As urgências de ginecologia e obstetrícia e as unidades de neonatologia de Lisboa e Vale do Tejo vão funcionar até final de março com a mesma metodologia rotativa do que no Natal e Ano Novo.

A confirmação de manter o plano adotado para o Natal e Ano Novo no primeiro trimestre deste ano na região de Lisboa e Vale do Tejo foi hoje avançada, em comunicado, pela direção executiva do Serviço Nacional de Saúde (DE-SNS), depois da avaliação feita numa reunião realizada na terça-feira com os vários hospitais.

Segundo o organismo liderado por Fernando Araújo, as quatro instituições de Lisboa - centros hospitalares de Lisboa Norte, de Lisboa Central e de Lisboa Ocidental e o Hospital Fernando Fonseca - "vão cooperar e partilhar recursos", no sentido de garantir o funcionamento dos respetivos serviços de urgência de ginecologia e obstetrícia e das unidades de neonatologia durante o primeiro trimestre.

O modelo de funcionamento adotado prevê, assim, que os serviços de urgência de ginecologia e obstetrícia do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte e do Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central (Hospital de Santa Maria e Maternidade Alfredo da Costa) se mantenham “sempre a funcionar de forma normal e ininterrupta”, adiantou a comissão executiva.

De acordo com a DE-SNS, durante os fins de semana, o serviço de urgência de ginecologia e obstetrícia do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental (Hospital São Francisco Xavier) “alterna o acesso” com a urgência do Hospital Fernando Fonseca.

Na prática, isso quer dizer que, no fim de semana em que funciona de forma regular a urgência do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, as urgências de ginecologia e obstetrícia do Fernando Fonseca funcionarão no nível um do plano de contingência entre as 08:00 e as 20:00 de sexta-feira e no nível três das 20:00 de sexta-feira até às 08:00 de segunda-feira.

No fim de semana seguinte, o sistema inverte-se, referiu ainda a DE-SNS, ao adiantar que, quando uma destas duas instituições estiver em nível de contingência, as grávidas e recém-nascidos devem serem orientados para os outros pontos da rede do SNS.

O plano prevê também que o Hospital Beatriz Ângelo e o Hospital de Vila Franca de Xira também cooperem e partilhem recursos, no sentido de garantir o funcionamento rotativo dos respetivos serviços de urgência externa de ginecologia e obstetrícia e das unidades de neonatologia.

Além disso, durante os fins de semana, o serviço de urgência de ginecologia e obstetrícia do Hospital Garcia de Orta funcionará de forma normal, enquanto a urgência do Centro Hospitalar Barreiro-Montijo vai alternar o acesso com o Centro Hospitalar de Setúbal.

O funcionamento rotativo aplica-se ainda ao Centro Hospitalar do Oeste, ao Centro Hospitalar do Médio Tejo e ao Hospital Distrital de Santarém durante este trimestre, alternando entre si o funcionamento das urgências e o bloco de partos.

 “Os resultados deste plano estratégico serão avaliados pela DE-SNS, durante o primeiro trimestre de 2023, e informarão as decisões para os trimestres seguintes, nomeadamente para o verão”, adiantou a comissão executiva.

A DE-SNS adiantou ainda que, apesar do desempenho positivo da operação ‘Nascer em segurança no SNS’ no Natal e Ano Novo, é “necessário trabalhar na melhoria de comunicação com os cidadãos, nomeadamente na resposta da Linha de Saúde SNS 24 e do CODU-INEM na referenciação das grávidas, bem como nas abordagens das instituições que se encontram em nível de contingência”.

Lusa