Pesquisar notícia
quarta,
21 fev 2024
PUB
SNS

Região Centro assenta em 10 Unidades Locais de Saúde e no IPO de Coimbra

13/01/2024 às 12:11
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

O Serviço Nacional de Saúde (SNS) na região Centro assenta, desde o início do ano, no IPO de Coimbra e em 10 Unidades Locais de Saúde (ULS), no âmbito da reorganização dos cuidados primários.

Às ULS da Guarda e Castelo Branco, criadas em 2008 e 2009, respetivamente, juntaram-se as ULS de Aveiro, Médio-Tejo, Lezíria, Baixo Mondego, Cova da Beira, Viseu Dão-Lafões, Região de Leiria e de Coimbra, constituídas pelo Decreto-Lei n.º 102/2023 como Entidades Públicas Empresariais (EPE), que entraram em funcionamento no dia 01 de janeiro.

O Instituto Português de Oncologia (IPO) de Coimbra mantém a sua autonomia médica e administrativa como EPE, prestando cuidados de saúde diferenciados de diagnóstico e tratamento da doença oncológica para toda a região Centro.

Nesta reforma dos cuidados de saúde, a ULS de Coimbra garante um raio de ação em 21 concelhos e a mais de 400 mil utentes, na qual cerca de metade são idosos e a densidade populacional é mais reduzida.

Esta estrutura integra o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), constituído pelos Hospitais da Universidade de Coimbra, Hospital Geral, Hospital Pediátrico e Maternidades Bissaya Barreto e Daniel de Matos, Hospital Sobral Cid, mais o Hospital Arcebispo João Crisóstomo, de Cantanhede, e o Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro - Rovisco Pais (Cantanhede).

Fazem ainda parte as unidades do Agrupamento de Centros de Saúde (AceS) do Pinhal Interior Norte e os centros de saúde de Coimbra - Celas, Eiras, Fernão Magalhães, Norton de Matos, Santa Clara e São Martinho do Bispo –, e de Cantanhede, Condeixa-a-Nova, Mealhada, Mira, Mortágua e Penacova, todos do AceS do Baixo Mondego.

O Hospital Distrital da Figueira da Foz e os centros de saúde da Figueira da Foz, Soure e Montemor-o-Velho, no distrito de Coimbra, constituem a ULS do Baixo Mondego.

A ULS da Cova da Beira junta o Centro Hospitalar Universitário Cova da Beira, formado pelos hospitais Pero da Covilhã e do Fundão, e os centros de saúde de Belmonte, Covilhã e Fundão, que constituíam o ACeS da Cova da Beira.

O Centro Hospitalar Tondela-Viseu e o ACeS de Dão-Lafões formam a ULS de Viseu Dão-Lafões, que abrange toda a região interior Centro.

Além dos hospitais de Tondela e Viseu, esta ULS abrange os centros de saúde de Aguiar da Beira, Carregal do Sal, Castro Daire, Mangualde, Nelas, Oliveira de Frades, Penalva do Castelo, Santa Comba Dão, São Pedro do Sul, Sátão, Tondela, Vila Nova de Paiva, Viseu e Vouzela, que formavam o AceS Dão Lafões.

A ULS Aveiro envolve nove concelhos e junta o Centro Hospitalar do Baixo Vouga, formado pelos hospitais Infante D. Pedro (Aveiro), Distrital de Águeda, Visconde de Salreu (Estarreja) e Hospital Dr. Francisco Zagalo (Ovar), e os centros de saúde de Águeda, Albergaria-a-Velha, Anadia, Aveiro, Estarreja, Ílhavo, Murtosa, Oliveira do Bairro, Sever do Vouga e Vagos, que integravam o AceS do Baixo Vouga.

A ULS Médio Tejo é formada pelo Centro Hospitalar do Médio-Tejo, que abrangia os hospitais de Abrantes, Tomar e Torres Novas, e pelos centros de saúde de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Sardoal, Torres Novas, Tomar e Vila Nova da Barquinha, todos atualmente integrados no Agrupamento de Centros de Saúde Médio Tejo, e pelo Centro de Saúde de Vila de Rei, que estava na ULS de Castelo Branco, que continua a abranger os concelhos de Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Oleiros, Penamacor, Proença-a-Nova, Sertã e Vila Velha de Ródão.

A agregação do Hospital Distrital de Santarém com o Agrupamento de Centros de Saúde Lezíria - que abrange os municípios de Almeirim, Alpiarça, Cartaxo, Chamusca, Coruche, Golegã, Rio Maior, Salvaterra de Magos e Santarém - deu origem à ULS da Lezíria.

A sua área de influência indireta estende-se aos concelhos servidos pelo Centro Hospitalar do Médio Tejo, nas especialidades de cirurgia vascular, dermatologia, infecciologia e radioterapia, e aos concelhos de Mação, Sardoal, Constância, Vila Nova da Barquinha, Alcanena, Golegã, Entroncamento, Ferreira do Zêzere e Ourém, todos da área de influência direta do Centro Hospitalar do Médio Tejo, na especialidade de pedopsiquiatria.

A ULS da Região de Leiria junta o Centro Hospitalar de Leiria, constituído pelos hospitais Bernardino Lopes de Oliveira (Alcobaça), Santo André (Leiria) e Distrital de Pombal, e os centros de saúde que compunham o AceS do Pinhal Litoral, os centros de Saúde de Ourém e de Fátima, do ACeS Médio Tejo, e também os centros de saúde de Alcobaça e Nazaré, do ACeS Oeste Norte.

A sua área de influência corresponde aos concelhos de Batalha, Leiria, Marinha Grande, Porto de Mós, Nazaré, Pombal, Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos, Castanheira de Pera, Ansião, Alvaiázere e parte dos concelhos de Alcobaça, Ourém e Soure.

Em funcionamento desde 2008, a ULS da Guarda está ancorada nos hospitais de Nossa Senhora da Assunção (Seia), Sousa Martins (Guarda) e no Centro de Diagnóstico Pneumológico Guarda, abrangendo os concelhos de Almeida, Celorico da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Gouveia, Guarda, Manteigas, Meda, Pinhel, Sabugal, Seia, Trancoso e Vila Nova de Foz Côa.

No primeiro dia do ano os serviços de saúde no continente ficaram organizados em 39 ULS, com a criação de 31 novas unidades (a somar às oito já existentes), que têm como objetivo integrar numa mesma estrutura a gestão financeira e dos cuidados prestados pelos centros de saúde e pelos hospitais de referência. Paralelamente, serão extintas as Administrações Regionais de Saúde.

Lusa