Pesquisar notícia
quarta,
17 abr 2024
PUB
Portagens

Plataforma marca para novembro buzinões e marcha letra contra portagens na A23 e A25

19/10/2022 às 15:02
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

A Plataforma P’la Reposição das Scut A23 e A25 anunciou hoje que em novembro vai realizar buzinões e uma marcha lenta contra o pagamento de portagens naquelas vias.

Em comunicado, esta entidade que agrega várias instituições e associações de luta contra as portagens nas antigas Scut [vias sem custo para o utilizador] explicou que a decisão de avançar com novas ações surge depois de a reunião realizada recentemente com membros do Governo ter sido “inconclusiva” e porque a proposta do Orçamento do Estado para 2023 é “omissa” sobre a matéria.

Nos fundamentos, a Plataforma vincou ainda que “as declarações do Governo sobre esta matéria são genéricas, imprecisas e contraditórias quanto às medidas concretas e quanto ao momento da sua implementação”.

De acordo com a decisão, a primeira ação a sair à rua decorrerá no dia 07 de novembro, com buzinões em várias localidades dos distritos de Castelo Branco e da Guarda, nomeadamente no Fundão (Zona do Mercado, às 09:00), Castelo Branco (Rotunda Europa, às 09:00), Covilhã (Rotunda das Oliveiras, às 16:30), Guarda (Rotunda da Central de Camionagem, às 17:30), Seia (Rotunda do Pingo Doce, às 08:45) e Vilar Formoso (na antiga fronteira, às 11:30).

Para dia 18 de novembro, com início às 16:00, está marcada uma marcha lenta com colunas de veículos, que partem de várias localidades em direção à rotunda norte do Fundão, na saída da A23.

As colunas de Castelo Branco e Guarda partem às 16:00, enquanto a coluna de Belmonte parte às 16:30, juntando-se aos veículos que seguem desde a Guarda e, por fim, às 17:00 junta-se a coluna da Covilhã.

A Plataforma P'la Reposição das Scut A23 e A25 integra sete entidades dos distritos de Castelo Branco e da Guarda, nomeadamente a Associação Empresarial da Beira Baixa, a União de Sindicatos de Castelo Branco, a Comissão de Utentes Contra as Portagens na A23, o Movimento de Empresários pela Subsistência pelo Interior, a Associação Empresarial da Região da Guarda, a Comissão de Utentes da A25 e a União de Sindicatos da Guarda.

Além destas, há várias outras entidades que estão representadas no Conselho Geral, que é um órgão consultivo.

A A23, também identificada por Autoestrada da Beira Interior, liga Guarda a Torres Novas (A1).

A A25 (Autoestrada Beiras Litoral e Alta) assegura a ligação entre Aveiro e a fronteira de Vilar Formoso.

Lusa