Pesquisar notícia
terça,
23 abr 2024
PUB
Abrantes

Liga Amigos dos hospitais de Abrantes e Tomar oferecem viatura à ULS (c/áudio)

29/02/2024 às 18:15
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

A Liga dos Amigos do Hospital de Abrantes e a Liga Dos Amigos do Hospital de Tomar deram as mãos e compraram uma viatura para transporte de mercadorias que ofereceram à Unidade Local de Saúde do Médio Tejo.
A entrega da viatura à ULS do Médio Tejo aconteceu esta quinta-feira, 29 de fevereiro, no Hospital de Abrantes, numa cerimónia em que estiveram presentes dirigentes das duas ligas e a administração da Unidade Local de Saúde.

A aquisição desta viatura para transporte entre as unidades hospitalares foi uma necessidade apresentada pelo Conselho de Administração do, antigo, Centro Hospitalar do Médio Tejo que agora vai servir toda a ULS. Aliás, Casimiro Ramos, presidente do Conselho de Administração da ULS Médio Tejo indicou que será muito importante na distribuição de medicamentos pelos cuidados primários de saúde. É que a viatura é de mercadorias, mas tem uma componente muito específica de poder ser dividida e duas zonas, uma normal e outra de frio. Desta forma, nestas duas dimensões, permitirá ter um melhor aproveitamento face às necessidades atuais.

Júlio Miguel, porta-voz da Liga dos Amigos do Hospital de Abrantes, indicou que esta necessidade foi manifestada pela administração, mas como tem características muito próprias, encareceu a sua compra. “Como o valor é elevado, e depois da pandemia a situação financeira da Liga ainda não é estável, pensámos fazer uma parceria com a Liga dos Amigos do Hospital de Tomar, onde dividimos o valor.”

Esta plataforma de frio irá permitir o transporte de medicamentos ou sangue, maximizando o serviço com o transporte em simultâneo de indiferenciados.

As ligas são Instituições Particulares de Solidariedade Social e todos os valores são angariados para os respetivos hospitais. Neste caso a Liga dos Amigos do Hospital de Abrantes trabalha em prol do “seu” hospital, com aplicação das verbas ao doente, trabalhadores, instituição. De acordo com os estatutos a Liga pode ofertar equipamentos, o que é o caso. A viatura é um equipamento e, disse Júlio Miguel, “temos de olhar para isto porque somos utentes dos três hospitais e não de um.”

A atividade principal tem a ver com a parte social que é o voluntariado e aí apoiamos tudo, desde medicamentos e transportes. E agora estamos a ter um desafio com os migrantes que ainda não têm documentação. Estão cá, não têm nenhum registo, mas adoecem. E depois como é? E alguns destes migrantes têm batido à porta da Liga.”

Júlio Miguel revela que como não há registos são pessoas que não estão sob o chapéu da Segurança Social ou outra instituição, mas precisam, quando necessário de apoio.

 

Júlio Miguel, Liga Amigos Hospital Abrantes

Maria Cristina Schultz, vice-presidente da Liga dos Amigos do Hospital de Tomar, notou que a sua IPSS tem uma dimensão inferior do que a de Abrantes e que o seu trabalho prioritário é o apoio aos doentes. Este é, de acordo o que explicou, que nunca é feito diretamente com o doente, ou seja, é feito através dos serviços sociais do Hospital de Tomar.

“Chagámos a esta parceria, porque sendo um bem para a ULS representa um benefício para o doente, porque permite o transporte de medicamentos ou o que fizer falta”, frisou a dirigente referindo que os apoios externos não são tão elevados como os de Abrantes. Maria Cristina Schultz referiu o corpo de voluntário, que considerou muito bom, no apoio que é dado no hospital de Tomar.

 

Maria Cristina Schultz, Liga Amigos Hospital Tomar

A viatura foi comprada na Mercar, por cerca de 52 mil euros, e permite o transporte indiferenciado e de frio e vem dar resposta a uma nova necessidade nos transportes de medicamentos para os cuidados primários de saúde. E essa foi uma prioridade, a compra da viatura ser feita numa empresa com sede em Abrantes ou Tomar. Assim, a mesma foi comprada na Mercar.
Júlio Miguel fez questão de frisar que há mais apoio da Liga ao Hospital de Abrantes, para além deste elevado investimento na viatura. “Já comprámos uma máquina elevatória para a consulta externa, comprámos dois bancos de anestesia para o Bloco Operatório, mais acessórios para uma maca do Bloco Operatório. Temos um novo projeto, pioneiro no país, sendo o apoio na Medicina no Trabalho. É um projeto destinado a pessoas que trabalham com acamados. Está feito e é para um determinado âmbito temporal, depois é ir buscar apoios às empresas da região.

 

Júlio Miguel, Liga Amigos Hospital Abrantes

Casimiro Ramos, presidente do Conselho de Administração da ULS Médio Tejo, manifestou satisfação ao receber esta viatura que havia sido pedida, ainda pelo Centro Hospitalar do Médio Tejo vincou que o relacionamento da administração da ULS, e antes do Centro Hospitalar, com as três ligas (Abrantes, Tomar e Torres Novas), é contínuo do apoio a equipamentos das unidades e no voluntariado de auxílio aos doentes. Têm, de acordo com Casimiro Ramos, um papel voluntário imprescindível e “também apoiamos com tudo o que está ao nosso alcance, permitindo que tenham condições para terem bares e espaços para papelaria”. E depois, para além de dizer que o trabalho deve ter o agradecimento de todos, apelou aos cidadãos para poderem ajudar e colaborar com as instituições porque o trabalho reverte para as populações e para o cidadão.

No protocolo existente há uma lista de necessidades, pelo que as duas ligas decidiram-se pela carrinha de transporte, que até faz parte do projeto de ULS do Médio Tejo. “Vai ser utilizada na distribuição de medicamentos pelos centros de saúde, que até aqui era feita pela Administração Regional de Saúde. Entre os hospitais já fazíamos esse transporte, mas agora aumentou para os centros de saúde.”

Depois, com as possibilidades de ter o frio, a viatura vai ter a utilidade para o que for preciso. Segundo Casimiro Ramos não havia necessidade, em termos de utilização total, de uma viatura só para o transporte de medicamentos.

Casimiro Ramos, presidente CA ULS Médio Tejo 

A aquisição foi feita pelas Ligas de Abrantes e Tomar. A viatura custou 52 mil euros e permite o transporte de medicamentos ou outras mercadorias na ULS do Médio Tejo que, como se sabe, tem um território que abrange os municípios de Abrantes, Alcanena, Barquinha, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Sardoal, Torres Novas, Tomar e Vila de Rei.

Galeria de Imagens