Pesquisar notícia
terça,
18 jun 2024
PUB
Tomar

Incêndio em moradia provocou "danos muito graves" na estrutura - autarca

2/05/2024 às 13:46
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

O incêndio que deflagrou hoje numa moradia em Tomar destruiu completamente o edifício, tendo as chamas provocado “danos muito graves” na estrutura, disse à Lusa a vice-presidente da Câmara Municipal.

"O incêndio terá começado na cozinha e a senhora, de 49 anos, que estava na cave, só se apercebeu quando sentiu o cheiro a fumo. Ainda tentou apagar as chamas, mas já nada conseguiu fazer, tendo chamado os bombeiros”, disse à agência Lusa a vice-presidente da Câmara de Tomar (Santarém), Filipa Fernandes.

Segundo a autarca, a mulher, que “estava sozinha” em casa quando o incêndio deflagrou, foi transportada ao hospital “devido a inalação de fumos”, mas “não corre perigo de vida”.

Filipa Fernandes relatou ainda que o interior da habitação ficou “completamente destruído e inabitável”, com o calor das chamas a provocar “danos muito graves” na estrutura do edifício.

Além da mulher que ficou ferida, residiam na casa o marido, que já tinha saído para trabalhar, e dois filhos, estudantes.

“Estamos a fazer o levantamento das necessidades, a nível de bens ou de alojamento, e perceber se vão para casa de familiares ou se precisam de um local para ficar, que o município disponibilizará a esta família, caso necessitem. Nesta casa não podem ficar, mas também não vamos deixar que lhes falte nada”, disse Filipa Fernandes.

Em declaração à Lusa cerca das 10:00, fonte do Comando Sub-regional do Médio Tejo da Proteção Civil disse que “o alerta para incêndio em habitação unifamiliar em Casal da Segurança, na União de Freguesias de São João Baptista e Santa Maria Dos Olivais, em Tomar, foi dado às 09:05”.

Segundo a mesma fonte, a moradia, localizada fora do centro de Tomar, no distrito de Santarém, foi “toda tomada pelas chamas” e está em “risco de ruir” devido aos danos causados.

Segundo a informação disponível às 13:30 no portal da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, o incêndio entrou em fase de resolução às 11:50, mas estava ainda a mobilizar 26 operacionais, apoiados por nove veículos.

Lusa