Pesquisar notícia
domingo,
26 mai 2024
PUB
Médio Tejo

Atividade assistencial dos hospitais cresce a dois dígitos no primeiro trimestre de 2023

17/04/2023 às 12:24
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) revelou esta segunda feira que “num esforço sem precedentes”, os profissionais de saúde do Centro Hospitalar conseguiram “aumentar o acesso a cuidados de saúde da população, e nos três primeiros meses do ano a instituição registou um crescimento de dois dígitos em quase todos os indicadores assistenciais da sua atividade.”

Ainda de acordo com a mesma informação, as três unidades do CHMT aumentaram em 11% homólogos os internamentos de doentes em enfermaria nos três primeiros meses do ano. Ao todo, passaram pelas unidades de internamento do CHMT, Abrantes, Tomar e Torres Novas, 4341 doentes, ou seja, mais 476 do que no mesmo período do ano passado.

Ainda segundo o mesmo documento, nas consultas externas de especialidade, a instituição também conseguiu aumentar a sua atividade. Foram realizadas, em média, 740 consultas por dia útil ou 48.085, no total do trimestre (mais 3060 do que no trimestre homólogo). O CHMT nota um crescimento de 12% as primeiras consultas face ao mesmo período do ano passado.

Já no que diz respeito à atividade cirúrgica programada, outra valência que merece destaque, no primeiro trimestre do ano, registou um crescimento médio de 16% nos três primeiros meses de 2023, impulsionado pelo crescimento de 22% da cirurgia em ambulatório. Ao todo, foram realizadas neste período, nas três unidades, 2.554 cirurgias, mais 354 do que no trimestre de 2022, o que perfaz uma média de 39 cirurgias por dia útil.

E no que toca aos Serviços de Urgência, estes continuam a “bater recordes assistenciais à população do Médio Tejo.” De acordo com os dados divulgados pela administração do CHMT no primeiro trimestre de 2023 foram atendidos 39.060 episódios de urgência. Quer dizer que há mais 3.871 episódios de urgência do que no mesmo período do ano anterior, o que representa um crescimento de 11%. O crescimento mais expressivo ocorreu na urgência pediátrica, com uma procura 24% superior ao período homólogo.

Há a registar nos três primeiros meses do ano um crescimento de 15% homólogos de sessões de Hospital de Dia e de Hemodiálise, respetivamente.

Já o maior crescimento em percentagem deste trimestre é o de 32% relativo à atividade da unidade de Hospitalização domiciliária do CHMT.

Os Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica cresceram em média 6% e o Bloco de Partos é o único indicador que regista uma ligeira retração, de menos sete partos face ao igual período do ano anterior, devido ao encerramento quinzenal rotativo de maternidades que está em vigor desde o início do ano, por deliberação da Direção Executiva do Serviço Nacional de Saúde.

“Manter o foco nos utentes, ultrapassar quaisquer desafios e alcançar os objetivos a que nos propusemos. Tem sido sempre com foco e com uma equipa de profissionais extraordinária, que o CHMT tem conseguido superar-se, para fazer mais e melhor pelos seus utentes”, diz Casimiro Ramos, presidente do Conselho de Administração do CHMT. “Esta trajetória do primeiro trimestre deixa-nos confiantes, mas não vamos abrandar – a comunidade precisa de Saúde, e temos de garantir mais acesso, mais cuidados, e mais eficácia. Vamos continuar esse caminho”, garante Casimiro Ramos.