Pesquisar notícia
terça,
23 abr 2024
PUB
Protesto

Rádios de todo o país aderem ao boicote da campanha eleitoral para as Legislativas

15/02/2024 às 18:56
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

As rádios locais e regionais estão a boicotar a campanha eleitoral das Legislativas como forma de protesto por não terem sido atendidas as suas reivindicações para o setor nos últimos anos. A Associação Portuguesa de Radiodifusão (APR) revela, em comunicado, que "aliada à ausência de quaisquer medidas dos últimos governos em prol do sector, a alteração da Lei da Rádio no passado dia 6 de fevereiro foi a gota de água que fez transbordar o copo."

De acordo com a associação das rádios, "neste momento são já 70 as Rádios de todo o país que decidiram aderir ao protesto sugerido pela APR, com o objetivo de demonstrar publicamente o descontentamento das Rádios com os últimos anos de governação."

Ainda segundo a APR, "depois de dois anos de um governo e de um parlamento que nada fizeram pelo sector, os últimos meses de mandato, já com um governo de gestão, ficam marcados pela aprovação de medidas que apenas trazem mais obrigações, prejuízos e trabalho para as Rádios e que constam da recém-aprovada alteração da Lei da Rádio."

Neste mesmo texto a associação diz que tendo em conta aquele que tem sido o histórico dos últimos anos de governação, e atendendo a que a situação financeira das Rádios é cada vez mais complexa, nomeadamente a dos operadores de pequena dimensão, a Associação "propôs às Rádios que se manifestem publicamente contra todos os ataques que têm sido feitos ao sector, quer por ação, como a alteração da Lei da Rádio agora aprovada, quer por omissão, ignorando propostas que podem contribuir de forma significativa para a melhoria da viabilidade financeira dos operadores."

À semelhança do registado em 2019, e também em 2021, a Associação propôs que as Rádios Locais não façam qualquer cobertura dos dois atos eleitorais previstos para este ano – as eleições legislativas de 10 de março e as eleições europeias previstas para o mês de junho.

"Entendemos que este boicote é essencial para demonstrar o descontentamento das Rádios com o esquecimento a que tem sido votado por parte dos últimos governos que não só não aceitaram nenhuma das propostas apresentadas pelo sector como também não implementaram aquelas que eram as propostas apresentadas pelo próprio Governo no âmbito dos Orçamentos de Estado aprovados ao longo dos últimos anos."

A proposta lançada pela APR foi seguida por vários operadores, e neste momento são já 70 as Rádios (no Continente e nas Regiões Autónomas) que decidiram aderir ao protesto que, para além do boicote às ações de campanha eleitoral, prevê também a divulgação, em antena, de pequenos apontamentos que informam os ouvintes sobre a existência do protesto e as razões que o justificam.

A Antena Livre é uma das rádios que aderiu, sem reservas, ao protesto sugerido pela APR, associação a que pertence. Assim sendo não haverá cobertura de campanha eleitoral no distrito de qualquer força ou movimento político.