Pesquisar notícia
quarta,
19 jan 2022
PUB
Música

Vitorino Salomé distinguido com Prémio Pedro Osório da Sociedade Portuguesa de Autores

30/11/2021 às 01:48
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

O músico português Vitorino Salomé foi distinguido com o Prémio Pedro Osório, da Sociedade Portuguesa de Autores (SPA), pelo álbum “Crónicas da flor da laranjeira”, editado este ano, anunciou aquela cooperativa.

“O prémio, como aconteceu noutros casos, consagra também uma vida de trabalho dedicada à criação musical, à interpretação e à comunicação com o público”, referiu a SPA num comunicado hoje divulgado, no qual anuncia que o Prémio Pedro Osório é atribuído a Vitorino Salomé, “com mais de 40 anos de carreira, pela edição do CD ‘Crónicas da Flor da Laranjeira’, editado este ano”.

Vitorino editou o álbum de estreia, “Semear salsa ao reguinho”, em 1975, que inclui a canção que desde cedo marcou a carreira do músico alentejano, “Menina estás à janela”, e outras que também definiram o seu percurso, como “Cantiga d'um marginal do século XIX”, “Cantiga de uma greve de verão” e “Morra quem não tem amores”.

"Os Malteses", "Não há terra que resista - Contraponto", "Romances", "Flor de la mar", "Leitaria Garrett", "Sul", "Negro fado", "Cantigas de encantar", "Eu que me comovo por tudo e por nada", "A canção do bandido", "La Habana 99", "Alentejanas e amorosas", “Utopia”, "Tango", "Ninguém nos ganha aos matraquilhos!", "Viva a República, viva!" são alguns dos álbuns de Vitorino, editados desde então.

Na sua carreira destacam-se canções como "Queda do império", "Vou-me embora", "Fado Alexandrino", "O dia em que me queiras", "Laurinda", "Ó rama, ó que linda rama", entre criações próprias, de origem tradicional ou de raiz histórica, como "Carbonárias", "Marcha da patuleia" ou "Maria da Fonte".

A data de entrega do prémio “será oportunamente anunciada”.

O Prémio Pedro Osório - instituído como homenagem ao compositor, pianista e maestro - já distinguiu músicos como Pedro Abrunhosa, Sérgio Godinho, Rão Kyao, Jorge Palma, Janita Salomé, José Cid, Júlio Pereira, Fernando Tordo, Luís Represas e Rodrigo Leão.

Lusa