Pesquisar notícia
terça,
23 abr 2024
PUB
Abrantes

FC2TEC ganha 1.º Prémio do Concurso CGD Microcrédito

27/02/2024 às 10:46
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter
Créditos fotos: FC2TEC

A Empresa FC2TEC - Manutenção Industrial, Lda, de Abrantes, ganhou na semana passada o 1.º Prémio do Concurso Caixa Microcrédito CASES. O anúncio dos vencedores deste prémio da Caixa Geral de Depósitos (CGD) foi anunciado numa gala que aconteceu na Culturgest e os gerentes da FC2TEC, Paulo Costa e António Ferreira, receberam o troféu e o cheque de 10 mil euros.

Já o segundo lugar foi para a empresa Salina Greens – Produção e Comercialização de Halófitas e seus derivados Unipessoal Lda, e o terceiro foi entregue a Miranda Alegria, Unipessoal Lda.

De acordo com a CGD estas “empresas são um exemplo do que se pretende com a utilização do Microcrédito. Criar negócios e novos produtos, solidificá-los e fazê-los crescer em dimensão e impacto no mercado de trabalho, contribuindo assim para a geração de riqueza e bem-estar para os seus promotores e respetivas equipas.” Ainda de acordo com o banco público este “Prémio de Mérito constitui uma forma pública e solene de homenagear as Empresas pela distinção na implementação e desenvolvimento dos seus projetos.”

A Caixa Geral de Depósitos e a CASES, Cooperativa António Sérgio para a Economia Social, responsável pelo Programa Nacional de Microcrédito, 350 convites a micro e pequenas empresas financiadas através do microcrédito, tendo sido analisadas 19 candidaturas.

Ainda de acordo com a CGD o microcrédito escapa ao financiamento bancário tradicional, porque não tem o recurso a garantias reais, como no crédito tradicional.

De acordo com a CGD a empresa FC2TEC está localizada no Tramagal, vocacionada para a manutenção industrial, construção de estruturas metálicas, construção de máquinas e equipamentos por medida, criada em 2016, que conta já com 14 colaboradores.

Mário Manuel Rijo Diretor Adjunto Direção de Marketing de Particulares e Negócios da CGD, apresentou a empresa, começando por referir que “de um momento menos positivo na vida (...) de quem já tinha conquistado uma enorme experiência decidiu, por impulso, criar uma empresa”. O responsável indicou ainda que, de acordo com os dados da candidatura, a empresa conta já com 14 postos de trabalho. “Vocês (FC2TEC) são inspiradores para qualquer comunidade, em qualquer parte do mundo são exemplos inspiradores.”

Paulo Costa, um dos gerentes da empresa, disse que “este prémio representa o suor, as lágrimas, e o trabalho duro que tivemos ao longo destes anos todos. É muito gratificante ser reconhecidos pelo trabalho que tivemos.”

Já António Ferreira, o outro gerente da empresa, agradeceu às famílias, que também sofrem muito com os desafios dos empresários, e aos colaboradores: “isto é um prémio de nós todos.”

De seguida uma palavra para a CGD por acreditar nos empresários, porque sem o elo bancário as coisas não teriam acontecido da mesma forma.

Nasceu em 2016 no Tramagal e expandiu-se em 2020 para o Parque Industrial de Abrantes

 

A empresa foi criada em Tramagal em 2016, mas a 2 de julho de 2020, em plena pandemia, os empresários Paulo Costa e António Ferreira lançaram a primeira pedra do complexo industrial da FC2TEC - Manutenção Industrial num lote de terreno no parque industrial de Abrantes, zona norte.

Na altura, com 14 postos de trabalho, os empresários apostavam num investimento forte, mesmo em tempos de pandemia, tendo em vista a rentabilização do negócio assim como a instalação, por exemplo, de uma máquina de corte de placas de ferro e assim diminuir os custos da aquisição das peças já cortadas noutras unidades industriais. E, acima de tudo, com uma nave industrial a FC2TEC poderia ganhar escala e abraçar novos desafios, novos projetos.

Dois anos e meio depois desse ato de descerramento da placa de início da construção, a 20 de janeiro, foi inaugurada esta unidade que representou um investimento de 1 milhão e 200 mil euros e que representa, acima de tudo, muita resiliência dos empresários Paulo Costa e António Ferreira.

É que se a aposta em tempos de pandemia foi um desafio, o pós-pandemia trouxe uma crise económica, com aumento de inflação e subida generalizada dos preços da matéria-prima e da energia. E depois veio ainda guerra na Ucrânia que acrescenta ainda mais incertezas ao mundo empresarial.

A FC2TEC cresceu no espaço físico e já adquiriu um segundo lote contíguo aquele em que está a nave industrial, trabalha para Portugal e para lá das fronteiras e aposta no conceito solução chave na mão para problemas industriais. “Queremos que nos apresentem o problema para podermos apresentar a solução. É isso que fazemos, apresentamos soluções aos problemas dos nossos clientes” explica Paulo Costa.

 

Galeria de Imagens