Pesquisar notícia
terça,
07 dez 2021
PUB
Economia

Abrantes: Parques Tecnológicos são “fundamentais” para a economia da região – Sec. de Estado da Indústria

16/04/2018 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Maria do Céu Albuquerque, Ana Lehman e Pedro Saraiva

A Secretária de Estado da Indústria, Ana Lehman, visitou na sexta-feira, o TAGUSVALLEY – Parque Tecnológico do Vale do Tejo, em Alferrarede, onde, acompanhada pela presidente da CMA, Maria do Céu Albuquerque e o diretor geral, Pedro Saraiva, se inteirou da atividade do Parque.

A governante interagiu com empresários que estão a desenvolver projetos empresariais de base tecnológica na incubadora. Ficou a conhecer o centro transferência tecnologia alimentar que se centra na aplicação das novas tecnologias ao sector alimentar e no desenvolvimento de novos produtos, nomeadamente através da utilização das mais recentes técnicas de conservação.

A governante visitou o LINE.IPT, centro de investigação vocacionado para as indústrias de produção, cujas áreas preferenciais de atuação são a engenharia mecânica, automação, eletrónica e informática e contactou com alunos e docentes da ESTA nos laboratórios de imagem, audiovisual e interativo.

Em declarações à Antena Livre, Ana Lehman lembrou que não foi a primeira vez que visitou Abrantes e que desta vez quis “privilegiar a visita ao TAGUS Valley, que é uma infraestrutura de excelência, onde tive oportunidade de ver um conjunto diversificado de valências que o Tagus Valley oferece. Desde a visita a empresas de base tecnológica, a visita ao Fab Lab, ligado à industria agroindustrial, o que foi muito interessante e que representa muito a filosofia dos programas que estamos a implementar no Governo”.

“Saio daqui muito agradada com o que vi. Vejo um potencial enorme continuarem na senda deste crescimento e é um excelente futuro que auguro para o TAGUS Valley e para o concelho que tem sabido atrair investimento, inclusive internacional, e muito competitivo”, acrescentou a governante.

Quando questionada sobre a importância dos Parque Tecnológicos e forma como os mesmos subsistem, Ana Lehman disse que “é sempre desejável assegurar um conjunto de oportunidades de financiamento. Agora, no âmbito do Programa Interface temos um conjunto de apoios virados para essa realidade. E estamos empenhados para que exista financiamento para este tipo de atividades”, garantiu a Secretária de Estado, tendo referido que “é a primeira vez num Governo em Portugal que há uma política estruturada para a área do empreendedorismo”.

Por fim, a governante salientou que as dinâmicas dos Parques Tecnológicos são “fundamentais” para o pulsar da economia de uma região. “Nós temos instituições académicas, de ensino superior e da investigação de excelência. E depois, por outro lado, temos também empresas com grande potencial que precisam da inovação das universidades, dos politécnicos e de vários centros. Neste caso, o que verifiquei foi uma excelente parceria entre essas entidades regionais e este parque”.

Já Maria do Céu Albuquerque, presidente da CMA, avançou que o objetivo da Câmara foi “mostrar que somos um território de gente muito capaz, com muito trabalho feito. Trabalho que nem sempre é visível, porque não temos a escala que outros têm, porque temos uma massa critica mais pequena, mas ainda assim estamos a fazer um trabalho que é notável por exemplo nesta infraestrutura, onde neste momento estão 32 empresas em registo de incubação”.

 “Quisemos mostrar o que estamos a fazer, com os nossos parceiros, com a Nersant, com o Politécnico de Tomar, com os empresários e com os nosso pares ao nível dos outros Parques Tecnológicos de Portugal”, acrescentou a autarca abrantina.

Maria do Céu Albuquerque mostrou-se preocupada com a nova lei que impede o financiamento dos Parques Tecnológicos através das Câmaras Municipais.  “Neste momento, temos uma grande preocupação, que diz respeito a uma regra que foi criada na legislatura anterior em que as instituições públicas, nomeadamente as Câmaras, não podem colocar verbas neste tipo de organização”.

“Se alguma instituição como esta é sustentável no país, nunca será no interior do país. E a acontecer será nas áreas metropolitanas onde nomeadamente aquilo que é o negócio imobiliário tem um pendor muito grande”, fez notar a presidente.

“Neste caso em concreto, é com o apoio e incentivos dos Municípios que estes projetos andam para a frente e é com base nestas iniciativas que nós somos capazes de atrair e fixar mais quadros, nomeadamente mais quadros jovens. A nossa preocupação é criar condições para que efetivamente este investimento que é feito, que tem de ser público, seja visto como um fator indutor do desenvolvimento económico do nosso país”, finalizou.

A visita antecedeu uma reunião da Secretária de Estado da Indústria com a direção da TECPARQUES - associação, que representa os parques tecnológicos do país - presidida pela TAGUSVALLEY. Da direção fazem parte, e estiveram presentes a BIOCANT PARK, Cantanhede e a LISPOLIS - Pólo Tecnológico de Lisboa. A reunião contou ainda com as presenças dos parceiros da TAGUSVALLEY, o NERSANT, através do Vice-Presidente da direção, Domingos Chambel e João Coroado da direção do IPT.