Pesquisar notícia
quarta,
08 dez 2021
PUB
Desporto

Krzysztof Hołowczyc venceu Baja de Portalegre pela terceira vez

30/10/2021 às 23:03
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

O polaco Krzysztof Hołowczyc (Míni) venceu hoje, pela terceira vez, a Baja de Portalegre, a mais emblemática prova nacional de todo-o-terreno, na categoria de automóveis.

O antigo campeão europeu de ralis deu-se melhor nos pisos enlameados do Alto Alentejo, terminando com o tempo de 5:09.44,7 horas, batendo o português Tiago Reis (Toyota Hilux), que foi segundo classificado, por 1.14,6 minutos.

O brasileiro Lucas Moraes (Toyota Hilux) foi terceiro, a 7.33,6 minutos do vencedor.

“É a minha terceira vitória em três participações e isso deixa-me muito satisfeito. Gosto deste rali, com as suas pistas especiais e muito técnicas”, disse o polaco, que, com este resultado, conquistou a Taça da Europa de Bajas, enquanto Yazeed Al Rajhi (Toyota Hilux) garantiu o triunfo na Taça do Mundo FIA de Bajas Cross-Country, ao ser 10.º classificado, a 16.17,7 minutos do vencedor.

O segundo lugar permitiu ao português Tiago Reis (Toyota Hilux), já virtual campeão nacional antes desta jornada, garantir o terceiro lugar na Taça da Europa.

“Se não fosse uma manhã muito difícil, sempre a abrir a pista, durante 70 dos quase 150 quilómetros, poderíamos ter tido hipótese de discutir a vitória até ao fim. Mas, as corridas são mesmo assim e ficamos muito satisfeitos com o resultado”, sublinhou, no final.

Miguel Barbosa (Toyota Hilux) foi o quarto classificado, com o oito vezes campeão nacional de todo-o-terreno a poder queixar-se de um furo, enquanto o brasileiro Cristian Baumgart (Toyota Hilux) fechou o quinteto da frente. 

Ainda entre os automóveis, destaque para os irmãos portugueses Alexandre Ré/Pedro Ré, que depois da conquista da Taça da Europa, asseguraram também a vitória na Taça do Mundo FIA de Bajas Cross-Country, na Categoria T4.

“Foi uma época fantástica, claro. Estamos muito satisfeitos e Portalegre voltou a ser Portalegre. Com chuva, mas não demasiada e assim é que tem de ser Portalegre”, disseram. 

Lusa