Pesquisar notícia
sexta,
02 dez 2022
PUB
Constância

Nuno Júdice inaugura retoma da Tertúlia de Poesia da Casa-Memória de Camões

5/05/2022 às 15:38
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter
DR

A Tertúlia de Poesia, iniciativa que funcionou de forma intermitente nos tempos mais recentes devido às contingências provocadas pela pandemia, vai regressar já no próximo dia 21 de maio à Casa-Memória de Camões, em Constância.

O regresso acontece com uma sessão dedicada ao poeta Nuno Júdice, que falará sobre a sua obra e a poesia portuguesa contemporânea, após o que se seguirá uma conversa com todos os participantes. A sessão terá lugar a partir das 16 horas e é aberta a todos os interessados, com acesso livre.

Iniciativa da Associação Casa-Memória de Camões, a tertúlia de poesia foi criada em novembro de 2019 com o objetivo de dinamizar aquele espaço e ser um ponto de encontro entre poetas, leitores e admiradores de poesia, tendo congregado, durante o seu funcionamento, várias dezenas de participantes, essencialmente da região do Médio Tejo.

Com o fim das restrições provocadas pela pandemia, estão agora criadas as condições para o regresso desta atividade, considerada “relevante” pela nova Direção e “que a equipa coordenadora se dispôs a dar um novo fôlego”.

Assim, a tertúlia continuará a ter uma periodicidade mensal, sendo as principais alterações a mudança para o final de tarde de sábado (mais conveniente para a maioria dos participantes), bem como a presença de figuras relevantes ligadas à poesia e à literatura, sejam autores, editores, livreiros ou outros.

Vencedor do Grande Prémio de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores em 2021, e tendo lançado recentemente o livro “50 anos de poesia – Antologia Pessoal 1972-2022”, Nuno Júdice é um nome de referência da literatura portuguesa contemporânea, sempre atento à poética camoniana, sobre a qual publicou, aliás, recentemente o ensaio “Camões por cantos nunca dantes navegados”. Será ele a inaugurar este novo ciclo da tertúlia.

Os participantes são convidados a participar ativamente na conversa, bem como a levarem poemas de Nuno Júdice, de outros autores ou de autoria própria, que pretendam ler durante a sessão.