Pesquisar notícia
segunda,
24 jun 2024
PUB
ANACOM

Todas as operadoras apresentam valores acima dos 97% de cobertura de rede no concelho de Abrantes (C/ ÁUDIO)

18/10/2022 às 17:56
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

No âmbito do Estudo de Aferição da Qualidade de Serviço das Redes Móveis na ótica do utilizador, entre os dias 21 e 23 de junho, foi realizada uma campanha de testes e medições para avaliar o desempenho dos serviços de comunicações eletrónicas terrestres e verificar os níveis de cobertura dos operadores MEO, NOS e Vodafone no concelho de Abrantes.

Os dados foram apresentados no dia 14 de outubro pela ANACOM – Autoridade Nacional de Comunicações, e o estudo incluiu a cobertura de rede, as chamadas de voz e a utilização de dados móveis de internet.

Apesar do concelho apresentar algumas zonas consideradas negras, ou seja, com má cobertura de rede, o concelho de Abrantes, não tendo a cobertura ideal, também não é dos concelhos com mais problemas, como confirmou João Cadete de Matos, presidente da Anacom.

Segundo o estudo da Anacom, no concelho de Abrantes é a operadora Vodafone que regista melhores resultados, sendo que ao nível da existência de rede, A MEO regista 98,8%, a NOS 97,5% e a Vodafone cobre 99,1% do concelho.

É em algumas localidades da União de Freguesias de S. Miguel do Rio Torto e Rossio ao Sul do Tejo, freguesia de Bemposta, União de Freguesias de S. Facundo e Vale das Mós, Freguesia de Carvalhal e Freguesia de Fontes que a qualidade de cobertura da rede dos operadores é pior.

O raio-x de todos os lugares de todas as freguesias do concelho foi feito por Vítor Rabuge, diretor-geral de Supervisão da Anacom, cuja equipa esteve no terreno a fazer o estudo da qualidade de serviço da rede móvel. Mas não só. Um dos objetivos deste estudo, para além da comparação, “e ninguém quer comparar mal”, foi também efetuada a verificação das obrigações de cobertura. Ao contrário do anterior, que não destina qualquer ação sancionatória, o das obrigações de cobertura “visa verificar se as obrigações que pendem sobre os operadores estão ou não a ser cumpridas”. Se não cumprirem, explicou Vítor Rabuge, “aí vem o braço armado da Anacom” com medidas sancionatórias.

A Patrícia Silva Gonçalves, membro do Conselho de Administração, coube falar sobre o acesso às comunicações na rede fixa e a fibra ótica.

Mas como ouvimos João Cadete de Matos, até ao final do próximo ano, praticamente todo o território terá cobertura porque o Leilão do 5G também impôs obrigações de cobertura. João Cadete de Matos explicou o que aí vem nos próximos meses.

A questão do chamado roaming nacional continua a ter a resistência dos operadores em Portugal mas, após as condições impostas no leilão do 5G, Cadete de Matos acredita que esta é uma luta que vai ser ganha pelos consumidores.

Apesar das boas notícias, há ainda uma questão a resolver com as operadoras no mercado nacional: os processos de fidelização de clientes. A Lei está feita e impõe limites aos valores de rescisão, resta agora regulamentar para que entre em vigor, como disse João Cadete de Matos à Antena Livre.

E agora parece que voltamos ao século passado, mas o futuro parece apontar para… o satélite. João Cadete Matos explicou a possibilidade de cobertura das zonas brancas, sem cobertura de qualquer rede e que pode assentar na internet via satélite, do qual o caso mais conhecido é a constelação Starlink..

 

A finalizar a sessão que teve lugar no Edifício Pirâmide, o presidente da Câmara de Abrantes disse que viu confirmado o que ouve dos presidentes de Junta. Manuel Jorge Valamatos pediu ao presidente da Anacom para que pressionem o que for possível para equilibrar as igualdades no território.

 

De referir que para este estudo, a equipa da Anacom percorreu cerca de 700 quilómetros no concelho de Abrantes, tendo sido realizadas 1484 chamadas de voz, 1455 testes de velocidade da ligação à internet e 120.737 registos de sinal rádio.

Pode consultar os resultados do estudo aqui:

https://www.anacom.pt/render.jsp?contentId=1730181