Pesquisar notícia
segunda,
04 jul 2022
PUB
Concelhos

QuARTel reabriu com exposição de Massimo Espósito e Juju Bento (C/ÁUDIO e FOTOS)

15/06/2022 às 18:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

QuARTel - Galeria Municipal de Arte de Abrantes reabriu as portas esta terça-feira, dia 14 de junho, com a exposição "Um fio de arte", de Massimo Esposito e Juju Bento.

A galeria passa agora a ter uma nova estratégia, passando a albergar exposições de artistas de Abrantes e da região e entrando para a rede municipal de cultura, onde se junta ao Museu Ibérico de Arqueologia e Arte, Panteão dos Almeida, Igrejas de S. Vicente, S. João e da Misericórdia, e futuramente ao Museu de Arte Contemporânea Charter’s de Almeida. Pode ainda acrescentar-se nesta rede concelhia o Museu da Metalúrgica Duarte Ferreira, em Tramagal.

Na sessão de inauguração da primeira exposição do ciclo “Um fio de Arte”, Manuel Jorge Valamatos destacou esta nova função de um espaço que volta a abrir portas aos artistas de Abrantes.

“A Juju simboliza os jovens artistas de Abrantes, e o Massimo também. Este ciclo de exposições até o final do ano expressa a vontade de mostrar e apresentar o trabalho de muitos abrantinos” disse Manuel Jorge Vamalatos. O autarca vincou esta decisão de voltar a ter a galeria “para os nossos artistas”.

Massimo Espósito, para além de ser um dos primeiros artistas a expor é o curador do ciclo de exposições deste ano 2022. Arte por um fio é uma ideia que é nova, já há 10 anos havia esta ideia de ter um fio. “A individualidade aqui não serve para nada. Continuo a ter a mesma ideia. Se não trabalharmos em conjunto não vamos fazer nada”, disse o artista italiano radicado há muitos anos em Abrantes.

Abrantes é uma comunidade pequena, mas que tem um capital artístico muito grande e que conhece bem porque há muitos anos que trabalha nesta região.

Houve aqui um período de “lutas e de conversas” e conseguimos poder ter “novamente” a “nossa galeria para nós.”

Nos próximos seis meses já há programação para este ciclo de exposições de artistas e da região. Jovens como a Juju que “foi minha aluna” e que está a fazer um trabalho “completamente diferente do meu, mas que também aprecio.”

Um fio que nos une porque existe um fio entre o artista e quem “vem ver os quadros. E também quem quiser comprar a obra de arte.”

E quanto às exposições. Pergunta feita aos artistas: O que é que se pode ver nesta galeria?

 

Massimo Espósito

Juju Bento

A abertura contou ainda com a participação de Marina Brunheta que executou uma performance de dança.

Esta exposição vai estar patente ao público até 16 de julho de terça-feira a sábado das 14:30 às 17 horas. Encerra aos domingos e segundas-feiras.

Palavras chave:
Abrantes