Pesquisar notícia
quinta,
13 jun 2024
PUB
Constância

«É difícil haver terra que comemore Camões como Constância»

9/06/2024 às 11:23
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter
Fotos: CM CTC

A Vila Poema celebra o nascimento de Luís de Camões com as comemorações de Camões em Constância, 5 séculos, 5 dias, que decorreram até segunda-feira, ao dia 10 de junho, com vista a homenagear a sua vida e obra. 
A abertura das celebrações, tiveram lugar na Casa Memória Camões e foram presididas por Sérgio Oliveira, presidente da Câmara de Constância, que ao apresentar a exposição, cedida pelo Instituto Camões, mostra o seu contentamento em relação à cidade e à sua história.  

Referindo a Casa Memória, destaca que “somos dos poucos países que não tem uma casa dedicada a Camões e ao estudo da vida e obra” e destaca que sensibilizou a Ministra da Cultura, para dotar a Casa dos conteúdos necessários, recursos humanos e financeiros, para fazer da Casa Memória uma casa de estudo, pois a seu ver é “difícil haver terra que comemore Camões como Constância”. 

Com o foco em que Constância é a terra mais camoniana do país, gostaria que a vida e festa de Camões chegasse ao “Terreiro do Paço e que no Terreiro do Paço vejam que temos aqui condições para acolher uma casa digna deste poeta que foi Camões.”. 

Destaca-se ainda que nos dias que vem pela frente pode-se ver e espetáculos de dança, o mercado, todo um conjunto de iniciativas que visa reforçar a ligação que Constância tem a Camões.  

Sérgio Oliveira, também questionado pela possibilidade de o 10 de Junho ser celebrado na Vila Poema, declara que por questão de logística e prática, seria difícil Constância conseguir acolher uma cerimónia dessa dimensão.

 

Sérgio Oliveira, presidente CM Constância

Olga Antunes, diretora do Agrupamento de Escolas de Constância, explica a importância da obra Lusíadas, para os estudantes e ainda realça que os alunos deste ano poderão vir a ser os guias desta Casa Memoria, que estará aberta durante as celebrações e que depois será disponibilizado um número de telemóvel a partir do centro de turismo para as instalações serem visitadas. 

Ainda dentro da educação, Cecília Rezende apresentou o seu livro “Saber os Lusíadas”, e destaca a importância do livro para, tanto os jovens como os mais velhos terem acesso à informação que os Lusíadas tem presente, de forma fácil e interativa, como Máximo Ferreira teve oportunidade de presenciar e referir “porque é que isto não me foi dito quando estudei os Lusíadas”, ele que agora representa o Centro de Ciência Viva de Constância que faz parte da organização deste Evento por Camões, reforça que “Quem é camoniano tem que passar por Constância”.  

O Centro de Ciência Viva também conta com uma exposição no Camões em Constância, 5 séculos, 5 dias, a “Maquina do Mundo” e Máximo Fernandes destaca a sua importância, para explicar a astrologia, como refere em entrevista: 

Máximo Ferreira, presidente Casa Memória Camões

As comemorações de Camões em Constância, 5 séculos 5 dias, continuam até dia 10, para homenagear da melhor forma Luís de Camões. 

Galeria de Imagens