Pesquisar notícia
sexta,
19 abr 2024
PUB
Sardoal

69 anos a servir mas ainda se fala de injustiça nos Bombeiros Municipais (C/ ÁUDIO E FOTOS)

25/10/2022 às 16:30
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Os Bombeiros Municipais de Sardoal, fundados em 1 de outubro de 1953, celebraram o seu 69.º aniversário com uma sessão solene no Centro Cultural Gil Vicente onde foram condecorados bombeiros da corporação.

Os anos de pandemia tornaram impossível comemorar a data como habitualmente mas, no no passado sábado, os Bombeiros Municipais de Sardoal realizaram uma cerimónia para a celebração do 69.º aniversário

Perante bombeiros, entidades e familiares, Nuno Morgado, comandante dos Bombeiros de Sardoal, começou por lembrar os tempos de pandemia e o trabalho dos soldados da paz que nunca viraram as costas, mesmo perante o desconhecido.

“Após estes dois últimos anos e meio de pandemia Covid-19, importa reconhecer o trabalho que todos vós, sem exceção, têm prestado à população. Muitas vezes sob pressão da situação pandémica e da sua dificuldade, numa fase inicial, de autêntico desconhecimento sobre esta doença, promovendo receios e ansiedade em todos nós e nas nossas famílias. Os Bombeiros nunca viraram as costas àquilo que eram as necessidades de todos aqueles que de nós necessitavam. Por esse trabalho, devemos estar eternamente gratos a todos eles”, disse Nuno Morgado.

Os incêndios florestais não foram esquecidos pelo comandante dos Municipais de Sardoal que reconheceu que nem tudo correu bem mas que serviu de aprendizagem.

A remodelação das instalações do Quartel, com trinta anos, e a ampliação do centro de meios aéreos não foram esquecidas por Nuno Morgado que relembrou ainda o projeto da Casa da Proteção Civil Municipal.

O facto de serem Bombeiros Municipais, deixa a corporação de fora de alguns apoios governamentais. Nuno Morgado instou o presidente da Câmara de Sardoal para não desistir de lutar pela equidade ao nível da proteção civil e socorro.

Adelino Gomes, presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Santarém, elogiou os Bombeiros de Sardoal e falou de mais um ano complicado que, não foi pior, devido ao profissionalismo dos bombeiros do distrito.

Guilherme Isidro, secretário da Liga dos Bombeiros Portugueses, não poupou elogios aos Municipais de Sardoal a quem caracterizou de grande capacidade técnica.

 

As dificuldades financeiras que os bombeiros enfrentam, as verbas inscritas no Orçamento de Estado e a falta de pagamentos devidos do DECIR deste ano foram abordados pelo secretário da Liga dos Bombeiros.

O comandante Regional de Emergência e Proteção Civil de Lisboa e Vale do Tejo, Elísio Oliveira, agradeceu a quem dá a vida a salvar os outros.

 

Elísio Oliveira falou ainda dos desafios nada fáceis que o futuro promete trazer, muito devido às alterações climáticas mas pediu, acima de tudo, que os bombeiros sejam prudentes e zelem pela própria segurança.

Foi após as declarações do comandante Regional de Emergência e Proteção Civil de Lisboa e Vale do Tejo que o protocolo da cerimónia foi colocado de lado pois Guilherme Isidro, o secretário da Liga dos Bombeiros Portugueses, tinha uma surpresa para anunciar. Já depois de ter colocado no estandarte dos Bombeiros de Sardoal um crachá de simboliza a resiliência dos bombeiros durante a pandemia, Guilherme Isidro tinha ainda outra para anunciar.

Já com o crachá de Cidadania e Mérito ao peito, foi um Miguel Borges emocionado que falou a seguir. A paixão que move um bombeiro e os momentos que já foram vivenciados, bem como os anos de pandemia, não foram esquecidos pelo presidente da Câmara.

As críticas ao facto do país não olhar para os bombeiros municipais de igual modo e as injustiças que se cometem nos financiamentos também foram abordadas por Miguel Borges.

Durante a cerimónia, foram ainda distinguidos bombeiros da corporação de Sardoal com a Medalha de Assiduidade Grau Cobre - 5 anos, a Medalha de Assiduidade Grau Prata - 10 anos e a Medalha de Assiduidade Grau Ouro - 15 anos. Também foram atribuídas as Medalhas Dedicação de Grau Ouro - 25 anos e as Medalhas Dedicação e Altruísmo - 30 anos.

Por parte da Liga dos Bombeiros Portugueses, foi atribuído o Crachá de Ouro à bombeira especialista Teresa Duarte, “admitida no Corpo de Bombeiros Municipais de Sardoal a 1 de março de 1982” por mais de 40 anos de serviço e ao sub-chefe do Quadro de Honra Vítor Morais, “admitido no Corpo de Bombeiros Municipais de Sardoal a 1 de abril de 1985”, por mais de 36 anos de serviço.

 

Galeria de Imagens