Pesquisar notícia
quinta,
06 out 2022
PUB
Concelhos

Vila de Rei: Expansão da Zona Industrial do Souto pode atrasar mas autarca garante que a obra vai ser feita

8/11/2021 às 16:56
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter
Zona Industrial do Souto

Na reunião do Executivo de Vila de Rei da passada sexta-feira, 5 de novembro, o presidente Ricardo Aires deu conta que o concurso público para as obras da expansão da zona industrial do Souto ficou deserto. A comunicação surgiu na sequência da necessidade do alargamento dos espaços de coworking devido à muita procura no concelho, como começou por dizer o vice-presidente Paulo César Luís. “Para além destes que lá têm estado, várias pessoas têm contactado o Município no sentido de continuarem a usufruir do espaço”, disse Paulo César Luís. Perante esta declaração, Luís Santos, vereador eleito pelo PS, afirmou que “provavelmente, tem que se apostar nisso no futuro”.

Ricardo Aires explicou que é “por isso que temos já a candidatura do CIES – Centro de Instalação de Empresas e Serviços para a Zona Industrial. É um edifício que está candidatado para termos um espaço maior do que aquele que temos atualmente pois estamos a verificar que o espaço é cada vez menor”.

O presidente da Câmara adiantou ainda que “o CIES vai servir também para empresas de transformação, ou seja, não são apenas serviços” e deu como exemplo alguém que queira “começar a laborar de imediato e precisa, por exemplo, de uma oficina. Durante um certo número de meses, que iremos depois colocar em Regulamento, poderá estar ali até encontrar um outro espaço”.

“Agora precisamos é que os preços de mercado desçam porque os preços na construção civil estão elevadíssimos”, disse Ricardo Aires que anunciou de seguida que a empreitada colocada em concurso público para as obras da expansão da zona industrial do Souto tinha ficado deserta. O autarca deu como causa o facto de “serem números de 2020” que foi “quando a candidatura foi submetida na CCDR Centro”.

Ricardo Aires adiantou que já tinha feito o pedido de audiência à presidente da CCDR, Isabel Damasceno, “para verificar se há hipótese de aumentar a nossa comparticipação ou então prorrogar a candidatura até 2023 pois a validade vai terminar em 2022”.

À margem da reunião, a Antena Livre questionou o presidente Ricardo Aires acerca da situação da expansão da zona Industrial do Souto e o autarca afirmou que, “neste momento, vamos averiguar qual o preço justo a que os materiais estão para analisar outra vez o projeto mas temos aqui um senão... é que trata-se de uma empreitada candidatada no âmbito do Portugal 2020 e tem aquele preço. Nem aumenta nem diminui”.

Depois das diligências a que se propõe fazer, “a curto prazo, sairá novo concurso, com o mesmo montante ou não”. Ricardo Aires não se quis comprometer com novo montante da empreitada, “antes de saber algumas coisas”.

No entanto, questionado se o Município poderá avançar com a obra mesmo sem a comparticipação de fundos europeus, o presidente da Câmara de Vila de Rei garantiu que “a obra vai avançar e disso não tenham dúvidas. O que vamos ver é se será de imediato ou um bocadinho mais tarde, mas vai avançar”.

Quanto ao possível atraso da obra e sobre se isso irá condicionar a instalação de alguma empresa, Ricardo Aires explicou que “as pessoas que estão neste momento com uma perspetiva de investir no concelho de Vila de Rei, sabem que o concurso ficou deserto mas já lhes garanti que a obra vai avançar, de uma maneira ou de outra”.

 

Pelouros foram votados e aprovados

Ainda na mesma reunião do Executivo foi dado conhecimento da designação de Paulo César Luís como vereador a tempo inteiro, assumindo também as funções de vice-presidente da Câmara.

O presidente Ricardo Aires colocou ainda para deliberação a designação de outro vereador a tempo inteiro. Segundo o autarca, “com o decurso do tempo as necessidades vão-se multiplicando e a autarquia debate-se cada vez mais com novos desafios, sendo o seu leque de intervenção cada vez mais diversificado. Assim, perante esta realidade considero necessário, para além da existência de um vereador a tempo inteiro”, a designação da vereadora Rosa Martins como vereadora a tempo inteiro. A proposta foi aprovada por unanimidade.

Foi também aprovado com os cinco votos favoráveis o despacho do presidente com a distribuição de pelouros.

O presidente da Câmara Municipal de Vila de Rei, Ricardo Aires, fica responsável pelos pelouros das Finanças e Aprovisionamento; Proteção Civil; Educação; Ação Social e Saúde; Apoio à dinamização da atividade económica; Desporto/tempos livres/ Férias Desportivas; Planeamento; Parque automóvel; Transportes.

Ao vice-presidente Paulo César Luís, cabem os pelouros das Obras Publicas; Obras Particulares; Obras municipais por administração direta; Modernização Administrativa; Inovação, Informática e Informação; Associativismo; Turismo; Juventude; Entidade gestora da água e saneamento em alta e em baixa; Juntas de Freguesia; Sinalização e trânsito.

Já a vereadora Rosa Martins assegura os pelouros da área Administrativa e Recursos Humanos; Património; Cultura; Apoio Jurídico; Ambiente, espaços verdes e cemitérios; Toponímica; Lagar e destilaria; Componente de Apoio à Família (CAF).