Pesquisar notícia
quinta,
07 jul 2022
PUB
Sociedade

Escuteiros de Portalegre e Castelo Branco assinalaram semana do Ambiente e Proteção Civil (C/ÁUDIO E FOTOS)

6/03/2022 às 18:37
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Foi um fim de semana de intensa atividade para cerca de quatro centenas de escuteiros da Junta Regional de Portalegre e Castelo Branco. Aos 15 agrupamentos da Junta Regional juntaram-se mais dois de fora, como convidados: Fátima e Pedrogão.

Se o sábado contou com muitas atividades designadas como jogos de cidade, a noite teve uma Eucaristia e uma Festa de Campo.

Já este domingo o espaço envolvente ao pavilhão do Tagusvalley, que foi a base do acampamento, contou com a realização de uma Feira da Proteção Civil. Se os 400 escuteiros estão a assinalar a semana do ambiente e proteção civil, nada melhor para fazer uma mostra de todas as entidades que estão ligadas à Proteção Civil, nomeadamente na área da prevenção florestal e do combate aos fogos florestais. Mas sem nunca esquecer que a Proteção Civil é muito mais do que estas duas áreas e que ela começa na ação individual de cada cidadão. Daí que seja importante, para além dos valores do escutismo, que estes jovens comecem, desde cedo, a ter consigo os valores da proteção civil. É que, ainda para mais, os escuteiros fazem muita da sua atividade em comunhão com a natureza e com as florestas.

Foi por isso que, durante a visita o comandante dos Bombeiros de Abrantes, António Manuel de Jesus, fez questão de destacar a colaboração dos agrupamentos de escuteiros em casos de grande ocorrência, como nos grandes incêndios florestais. É que estes jovens, com os chefes, constituem um importante apoio que permite libertar de operações de logística os operacionais para poderem ir para os teatros de operações.

E neste âmbito os escuteiros estão também a preparar uma plataforma informática que permite identificar pontos em que seja necessária uma intervenção destas forças, ou das autarquias. Um exemplo do que poderá vir a ser esta plataforma pode ser o reporte de estradões florestais bloqueados com quedas de pinheiros. O grupo faz o registo e introduz as coordenadas que são depois enviadas para as autoridades da proteção civil desde concelho ou distrito.

Esta feira foi organizada pelo Serviço Municipal de Proteção Civil de Abrantes e pelo Departamento Nacional para o Ambiente, Prevenção do Corpo Nacional de Escutas juntamente com a Secretaria Regional de Ambiente e Proteção Civil da Região de Portalegre-Castelo Branco, no âmbito das comemorações do mês da Proteção Civil.

Esta feira contou com diversas entidades que compõem o sistema nacional de Proteção Civil, sendo a exposição composta por diversos veículos com as respetivas tripulações, assim como os equipamentos que os operacionais usam nas ocorrências.

Este evento contou com a presença da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) através do Comando Distrital (CODIS) de Santarém; Câmara Municipal de Abrantes com a mostra de máquina de rastos, porta máquinas e carrinha de apoio; Serviço Municipal de Proteção Civil (com um veículo, tenda e equipamentos); Bombeiros Voluntários de Abrantes (com um VFCI - veículo florestal de combate a incêndios, equipamento de grande ângulo, embarcação de socorro e um VOE - veículo de operações específicas).

Juntaram-se ainda os Bombeiros Voluntários de Ferreira do Zêzere (com um VCC - Veículo de comando e comunicações); Cruz Vermelha Portuguesa (com uma ambulância de socorro); Força Especial de Proteção Civil (com um veículo com drones); Polícia de Segurança Publica (com um veículo ligeiro com guarnição e com a unidade móvel de atendimento); a Guarda Nacional Republicana (com um veículo ligeiro com guarnição e equipamento); e o RAME - Regimento de Apoio Militar de Emergência (com um veículo ligeiro com guarnição e equipamento).

A Feira contou também com a Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Abrantes para a divulgação do curso profissional de Bombeiro, a Associação de Agricultores de Abrantes, Constância, Sardoal e Mação (com um veículo ligeiro com guarnição e equipamento); a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (com um veículo ligeiro com guarnição e equipamento) a Unidade de Emergência de Proteção e Socorro (com um veículo ligeiro com guarnição e equipamento), o Centro Equestre de Abrantes assim como as juntas de freguesia que mostraram dois veículos com Kit de primeira intervenção.

José Gomes, da Secretaria Regional de Portalegre e Castelo Branco explicou as presenças e os objetivos deste evento de dois dias que, pela primeira, vez se realizou no distrito de Santarém, uma vez que Abrantes faz parte desta secção regional do Corpo Nacional de Escutas (CNE). Este evento juntou cerca de 400 escuteiros dos 6 aos 23 anos de idade.

José Gomes, CNE

O dirigente dos escuteiros vincou que faz parte do programa educativo do CNE transmitir aos jovens conhecimentos e competências na área da Proteção Civil e do Ambiente. E destacou o ambiente com uma área fulcral do movimento, para além de permitir melhorar conhecimentos para poderem estar no terreno sempre que sejam solicitados.

David Lobato, CODIS Comandante Operacional Distrital de Santarém (CODIS), destacou a importância destas jornadas de uma organização que está presente no território e pode ser sempre uma daquelas que dão apoio em caso de necessidades. David Lobato referiu que o próprio filho foi escuteiro, pelo que está por dentro da organização. E dirigindo-se aos jovens deixou a expetativa de que possam continuar sempre nos escuteiros e que possam ser bombeiros, agentes da PSP, soldados da GNR e outras atividades ligadas à segurança e proteção das pessoas.

David Lobato, CODIS Santarém

Manuel Jorge Valamatos, presidente da Câmara Municipal de Abrantes, marcou presença na Feira e percorreu com os representantes das outras entidades todos os expositores assim como os operacionais que ao longo de uma manhã estiveram disponíveis para os escuteiros. Depois fez questão de dizer que o evento e a feira pode servir para “aliciar os jovens para aquilo que é a responsabilidade de cada um de nós.”

E nada melhor do que começar a sensibilizar os jovens para esta necessidade de uma cidadania ativa.
O autarca de Abrantes destacou depois os investimentos que têm sido feitos no Serviço Municipal de Proteção Civil que tem cada vez mais responsabilidades alargadas. E vincou que este reforço tem sido feito ao nível de edifícios e equipamentos.
Valamatos fez questão de frisar que uma das principais preocupações é antecipar eventuais problemas quando acontece alguma ocorrência por forma a garantir a segurança das populações.

Manuel Jorge Valamatos, presidente CM Abrantes

De destacar que os escuteiros mais novos vibraram com as sirenes dos veículos de socorro e foram passando por cada uma das organizações presentes.

A tenda da Proteção Civil Municipal de Abrantes tinha uma atratividade suplementar: dois ninhos de vespa asiática, recolhidos no concelho. Desta forma, o serviço pretende mostrar uma das ameaças às nossas abelhas e que tem tido uma disseminação muito grande nos últimos três anos.

Ninho secundário de vespa asiática

Ao mostrar os ninhos a um metro de distância a Proteção Civil pretende dar o conhecimento os escuteiros para que, mais facilmente, os possam identificar quando estiverem nas suas atividades de campo.