Pesquisar notícia
quarta,
10 ago 2022
PUB
Covid-19

Covid-19: Médio Tejo com mais 92 infetados tem 1960 casos ativos

26/12/2021 às 21:46
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Um dia depois do Natal a Unidade de Saúde Pública do Médio Tejo (USPMT) dá conta de mais 92 pessoas infetadas com SARS-CoV-2. Recorde-se que o primeiro caso positivo na região foi detetado em março de 2020 no concelho de Tomar. O total acumulado de contágios na região é, neste domingo, de 21 166 pessoas que fizeram teste positivo ao coronavírus.

Os laboratórios detetaram estes 92 casos reportados pela saúde pública em Abrantes (22), Alcanena (3), Constância (5), Entroncamento (15), Ferreira do Zêzere (4), Ourém (21), Sardoal (1), Tomar (34), Torres Novas (11) e Vila Nova da Barquinha (1).

Nesta sexta-feira a USPMT faz uma atualização geral de dados e deu conta de mais um óbito, em Abrantes, [há 423 óbitos na região relacionados com o coronavírus] e deu de mais 911 recuperados. São agora 18 783 que recuperaram da infeção provocada pelo SARS-CoV-2.

O número de casos ativos é neste dia 26 de dezembro de 1 960 localizados em Abrantes (190), Alcanena (65), Constância (37), Entroncamento (185), Ferreira do Zêzere (87), Mação (25), Ourém (541), Sardoal (21), Tomar (394), Torres Novas (320) e Vila Nova da Barquinha (17).

No que diz respeito a vigilâncias ativas, ou seja, pessoas que têm de ficar em confinamento porque contactaram diretamente com infetados, há neste domingo, menos 28 pessoas que têm de ficar em confinamento. Desde março de 2020 a USPMT já decretou confinamento a 14 226 pessoas e levantou esse confinamento a 12 991.

As 1 210 pessoas em confinamento estão localizadas em Abrantes (227), Alcanena (114), Constância (12), Entroncamento (107), Ferreira do Zêzere (64), Mação (37), Ourém (102), Sardoal (23), Tomar (167), Torres Novas (346) e Vila Nova da Barquinha (11).

Portugal regista hoje mais 13 mortes associadas à covid-19 e 3.732 infeções com o coronavírus SARS-CoV-2, bem como uma subida nos internamentos, indica a Direção-Geral da Saúde (DGS).

O boletim epidemiológico diário da DGS revela um aumento do número de pessoas internadas, contabilizando hoje 878 internamentos, mais 21 do que no sábado, e 151 em unidades de cuidados intensivos, menos um nas últimas 24 horas.

Das 13 mortes, cinco ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, três no Centro, duas no Norte, uma no Alentejo, no Algarve na Madeira.

Depois de três dias consecutivos com mais de 10.000 casos diários, Portugal regista nas últimas 24 horas 3.732 infeções.

Os casos ativos voltaram a aumentaram nas últimas 24 horas, passando a barreira dos 100 mil ao totalizarem 101.719, mais 2.125 do que no sábado, e recuperaram da doença 1.594 pessoas, o que aumenta o total nacional de recuperados para 1.159.192.

Lisboa e Vale do Tejo continua a ser a região com mais novos casos diagnosticados nas últimas 24 horas, num total de 1.640, seguindo-se o Norte (1.226), o Centro (400), a Madeira (216(), o Alentejo (113), o Algarve (100) e os Açores (37).

Em relação ao dia anterior, as autoridades de saúde têm mais 1.777 contactos em vigilância, totalizando 124.177 pessoas.

Segundo os dados da autoridade de saúde, a maioria dos óbitos diários continua a registar-se entre os idosos com mais de 80 anos, num total de oito, seguido da faixa etária dos 70 aos 79, com quarto, tendo ainda ocorrido uma morta entre os 60 e os 65 anos.

O maior número de óbitos desde o início da pandemia concentra-se entre os idosos com mais de 80 anos (12.256), seguindo-se as faixas etárias entre os 70 e os 79 anos (4.081) e entre os 60 e os 69 anos (1.732).

O maior número de novos casos diagnosticados é da faixa etária entre os 20 e os 29 anos (848), seguido dos 30 aos 39 anos (647), dos 40 aos 49 anos (636), dos 50 aos 59 anos (466), dos 10 aos 19 anos (442), até aos 9 anos (285), dos 60 aos 69 anos (237), dos 70 aos 79 anos (90) e dos idosos com mais de 80 anos (81).