Pesquisar notícia
sexta,
03 dez 2021
PUB
Concelhos

Responsáveis pela concretização do tapete de flores de Santiago de Montalegre contam que: “O mais importante é sempre a mensagem”

17/04/2019 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Andreia Cristina, Mara Alves e Isabel Carreira 

Isabel Carreira, Andreia Cristina e Mara Alves são três rostos da freguesia de Santiago de Montalegre e são algumas das responsáveis pela elaboração do tapete de flores na Capela de Nossa Senhora do Carmo.

Em conversa com o Jornal de Abrantes começaram por referir que é com agrado que denotam a iniciativa do Município de Sardoal em abranger as freguesias e as diferentes localidades na elaboração dos tradicionais tapetes de flores da Semana Santa.

Contam que é pelo “instinto” e pela fé que levam por diante a concretização do tapete há cerca de 5 anos, mas é a “mensagem” que realmente importa.

“O mais importante é sempre a mensagem. Podem ficar um bocadinho mais tortos, menos tortos, mais perfeitos, menos perfeitos, porque nós não temos nenhum ensinamento sobre como é que se faz, mas a nossa preocupação é a mensagem. Aquilo que se pode transmitir”, salientou Isabel Carreira.

As cerca de 10 pessoas, que se envolvem na concretização do tapete, trabalham e, portanto, o tempo para a tarefa não é muito. O primeiro objetivo é levar a cabo a concretização do desenho que vai originar no tapete de flores. Essa missão está entregue a Isabel Carreira, que apesar de assumir a tarefa, conta que pede sempre opinião. Depois, o passo seguinte é apanhar as flores no campo.

“Às vezes estamos um bocadinho atrapalhadas porque depende muito do que há, mas já usámos giestas, moitas, jarros, camélias, junco e, depois, temos a nossa colega que é florista e que traz aquelas flores que estão a fazer falta e que definem melhor o desenho”, referiu Isabel.

A responsável conta que “o ano passado fizemos um tapete sobre a Via Sacra. Estava dividido por quatro etapas”. Este ano, as ideias ainda não estão bem definidas, mas o tema sim, e será sobre as “Missões”.

“É o ano das Missões e queremos encontrar alguma coisa com imagens da Quaresma, da Sexta Feira Santa que transmita essa ideia de Missão. Não sei ainda o que vai ser, mas alguma coisa iremos definir”, afirmou.

Quanto à inspiração para o desenho, Isabel Carreira afirma convicta que o padroeiro da terra a ajuda. “Eu acho que Santiago nos ajuda, que nos inspira. Eu sinto isso”. Porque “se não fizermos de coração e se não fizermos mesmo com intenção de mostrar a fé, de mostrar o amor e de mostrar o amor de Cristo, não vale a pena. Acho que tem de ser por aí. Mostrar o amor de Cristo e fazer as pessoas pensarem nisso, mesmo as pessoas que não são religiosas”, disse emocionada.

Para além da realização do tapete de flores, o grupo ainda se envolve na realização de uma Via Sacra, que todos os anos decorre num local diferente da freguesia.

“Já fizemos quase em todas as terras, se não em todas. O ano passado, tínhamos decidido fazer lá em cima, mesmo no cemitério [contiguo à capela de Nossa Senhora do Carmo], só que como estava a chover tivemos de fazer dentro da capela. E como o tema era mesmo a Via Sacra, concentramos o momento lá dentro e foi um momento muito bonito”, vincou Isabel.

Quanto à importância da Semana Santa, a responsável vincou que é o momento de “pensarmos um bocadinho e olharmos para a vida de Cristo, para o caminho que ele teve de percorrer e para o sofrimento que teve de passar. Acho que é uma semana em que deveríamos de pensar na nossa vida e vermos o mundo que temos hoje com tanto sofrimento e com tanta coisa má. Acho que há coisas que podemos fazer e, portanto é um tempo de reflexão e de introspeção”, rematou.

Joana Margarida Carvalho